SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.38ASSOCIAÇÃO ENTRE FATORES PRÉ E PERINATAIS E PADRÃO DE GANHO DE PESO EM PRÉ-ESCOLARES DE CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTILASSOCIAÇÃO DA PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA COM A AGREGAÇÃO DE COMPORTAMENTOS DE RISCO À SAÚDE EM ADOLESCENTES índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Paulista de Pediatria

versão impressa ISSN 0103-0582versão On-line ISSN 1984-0462

Resumo

GUERRA, Sérgio Diniz  e  FERREIRA, Alexandre Rodrigues. EVENTOS ASSOCIADOS À OCORRÊNCIA DE HIPERTENSÃO INTRACRANIANA EM PACIENTES PEDIÁTRICOS COM TRAUMATISMO CRANIOENCEFÁLICO GRAVE E MONITORAÇÃO DA PRESSÃO INTRACRANIANA. Rev. paul. pediatr. [online]. 2020, vol.38, e2019123.  Epub 13-Jan-2020. ISSN 1984-0462.  http://dx.doi.org/10.1590/1984-0462/2020/38/2019123.

Objetivo:

Determinar eventos associados à ocorrência de hipertensão intracraniana (HIC) em pacientes pediátricos com traumatismo cranioencefálico grave.

Métodos:

Trata-se de coorte prospectiva de pacientes de até 18 anos, com traumatismo cranioencefálico, pontuação abaixo de nove na Escala de Coma de Glasgow e monitoração da pressão intracraniana, admitidos entre setembro de 2005 e março de 2014 em unidade de terapia intensiva pediátrica. A HIC foi definida como episódio de pressão intracraniana acima de 20 mmHg por mais de cinco minutos e com necessidade de tratamento.

Resultados:

Incluídas 198 crianças e adolescentes, 70,2% masculinos, mediana de idade de nove anos. A HIC ocorreu em 135 (68,2%) pacientes; valor máximo de pressão intracraniana de 36,3; mediana 34 mmHg. Receberam sedação e analgesia para tratamento da HIC 133 (97,8%) pacientes, 108 (79,4%) receberam bloqueadores neuromusculares, 7 (5,2%) drenagem de líquor, 105 (77,2%) manitol, 96 (70,6%) hiperventilação, 64 (47,1%) solução salina a 3%, 20 (14,7%) barbitúricos e 43 (31,9%) foram submetidos à craniectomia descompressiva. Os eventos associados à ocorrência de HIC foram os achados tomográficos à admissão de swelling (edema mais ingurgitamento) difuso ou hemisférico. A razão de chance para que pacientes com classificação tomográfica Marshall III (swelling difuso) apresentassem HIC foi 14 (IC95% 2,8–113; p<0,003) e para aqueles com Marshall IV (hemisférico) foi 24,9 (IC95% 2,4–676; p<0,018). A mortalidade foi de 22,2%.

Conclusões:

Pacientes pediátricos com traumatismo cranioencefálico grave e alterações tomográficas tipo Marshall III e IV apresentaram grande chance de desenvolver HIC.

Palavras-chave : Trauma craniano; Pressão intracraniana; Hipertensão intracraniana; Cuidados críticos; Criança; Adolescente.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )