SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.56 número4Implicações Sociais, Econômicas e Ambientais de Uma Iniciativa de Manejo Florestal Comunitário em Assentamento na Amazônia OrientalA Influência da Taxa de Câmbio e Renda Mundial Sobre as Exportações Brasileiras de Soja (2000-2015) índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista de Economia e Sociologia Rural

versão impressa ISSN 0103-2003versão On-line ISSN 1806-9479

Resumo

SOARES, Keller Regina; FERREIRA, Esvanio Edipo da Silva; SEABRA JUNIOR, Santino  e  NEVES, Sandra Mara Alves da Silva. Extrativismo e Produção de Alimentos como Estratégia de Reprodução de Agricultores Familiares do Assentamento Seringal, Amazônia Meridional. Rev. Econ. Sociol. Rural [online]. 2018, vol.56, n.4, pp.645-662. ISSN 1806-9479.  https://doi.org/10.1590/1234-56781806-94790560406.

A soberania alimentar do agricultor familiar está relacionada à transformação do agroecossistema, articulando a geração de trabalho e renda e sua capacidade de autoprodução de alimentos. Assim, este trabalho tem por objetivo investigar a produção de alimentos destinado ao autoconsumo e o extrativismo de látex realizados por agricultores familiares do assentamento de reforma agrária Seringal, no município matogrossense de Vila Bela da Santíssima Trindade, pertencente à Amazônia Meridional. Foram investigados agricultores familiares vinculados à Associação de Produtores de Látex (Aprolatex), através de entrevistas. Foi utilizado formulário semiestruturado abordando questões socioeconômicas e de produção. A heveicultura é a principal atividade agrícola exercida na unidade produtiva, correspondendo a até 65% da renda anual agrícola. O complemento da renda ocorre pela criação de pequenos animais, produção de leite e agricultura. As principais culturas produzidas são: mandioca, pepino, milho, abacaxi, batata doce e melancia, utilizados na alimentação familiar. A motivação para a produção para autoconsumo ocorre pela redução de despesas com compra de alimentos e a disponibilidades destes em quantidade e qualidade, garantindo a “segurança alimentar” dessas famílias. Os resultados demonstram a importância da produção de alimentos como estratégia para a permanência das famílias no campo e a necessidade de políticas públicas voltadas para a atividade extrativista.

Palavras-chave : Agricultura familiar; autoprodução de alimentos; autoconsumo; reprodução social; segurança alimentar e nutricional; seringueiros.

        · resumo em Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )