SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.40 issue4Cold induced changes on sugar contents and respiratory enzyme activities in coffee genotypesEstimating the plastochron in crambe author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Ciência Rural

Print version ISSN 0103-8478

Abstract

REIS, Ronaldo Viana dos et al. Estádios de desenvolvimento de mudas de umbuzeiros propagadas por enxertia. Cienc. Rural [online]. 2010, vol.40, n.4, pp.787-792.  Epub Apr 02, 2010. ISSN 0103-8478.  https://doi.org/10.1590/S0103-84782010005000043.

O reconhecido potencial econômico das Spondias (como o umbuzeiro) e o crescente interesse dos mercados internacionais em razão da demanda de frutos com sabores exóticos utilizados no preparo de sucos, doces e sorvetes têm despertado o interesse de pesquisadores e produtores por essa fruteira. Os objetivos do trabalho foram avaliar o desenvolvimento de mudas de umbuzeiro e indicar a melhor idade da muda e do garfo para a realização da enxertia. A semeadura foi realizada em canteiros de madeira de 1,5m de largurax10,0m de comprimento x 0,15m de altura, contendo areia lavada, sendo as sementes colocadas juntas e alinhadas em fileiras espaçadas de 5,0 cm uma da outra. Avaliou-se a altura da muda a partir do colo da planta, do número de folhas, do diâmetro do caule a 5, 10 e 15cm do colo, da matéria fresca e seca da parte aérea e das raízes no dia do transplante e após 60, 120, 180 e 240 dias após o transplantio. Avaliou-se também a sobrevivência das mudas com 180 dias após o transplantio, por meio da enxertia, pelo método de garfagem em fenda cheia ao topo com material propagativo (garfos) de umbuzeiros de várias procedências e idades. O delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado, e as repetições foram compostas por seis plantas por parcela. Conclui-se que, a partir de seis meses depois da repicagem, as mudas do umbuzeiro podem ser enxertadas pelo método de garfagem em fenda cheia ao topo. Houve uma sobrevivência de 80% das mudas enxertadas, estando estas prontas para o plantio em campo depois de dois meses após a enxertia. O índice de pegamento diminuiu de forma gradual ao serem usados garfos oriundos de plantas com idade acima de seis anos.

Keywords : Spondias tuberosa; umbu; propagação vegetativa.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License