SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.62 número5Suspensão da carcaça pelo dianteiro para melhorar a maciez dos músculos Longissimus dorsi e Biceps femorisMétodo alternativo para a retirada de anéis volumétricos em solos coesos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Scientia Agricola

versão On-line ISSN 1678-992X

Resumo

SILVA, Paulo Regis Ferreira da et al. Rendimento e teor de proteína bruta nos grãos de híbridos de milho com adubação nitrogenada de cobertura tardia. Sci. agric. (Piracicaba, Braz.) [online]. 2005, vol.62, n.5, pp.487-492. ISSN 1678-992X.  https://doi.org/10.1590/S0103-90162005000500014.

Alterações morfo-fisiológicas introduzidas nos híbridos modernos de milho sugerem mudanças na dinâmica de absorção do nitrogênio, aumentando a habilidade da planta de absorvê-lo durante o enchimento de grãos. Isto pode justificar a utilização de coberturas nitrogenadas tardias sempre que restrições climáticas impedirem o suprimento adequado de nitrogênio durante o desenvolvimento vegetativo da cultura. Este estudo foi conduzido objetivando avaliar os efeitos da fertilização nitrogenada no emborrachamento e espigamento no rendimento e teor de proteína nos grãos de híbridos de milho. Dois experimentos foram instalados em Eldorado do Sul, RS, nos anos agrícolas de 2001/2002 e 2002/2003. Em 2001/2002, os tratamentos foram compostos por dois híbridos (Agroceres 303 e Pioneer 32R21), três doses de N aplicadas durante o desenvolvimento vegetativo (30, 80 e 130 kg ha-1) e três doses de N aplicadas no espigamento (0, 50 e 100 kg ha-1). Em 2002/2003, quatro híbridos (Agroceres 303, Pioneer 32R21, Dekalb 215 e Syngenta Penta) e quatro doses de N aplicadas no espigamento (0, 50, 100 e 150 kg ha-1) foram testadas. A fertilização nitrogenada no emborrachamento e espigamento promoveu incrementos significativos no rendimento e teor de proteína bruta dos grãos. A resposta do rendimento de grãos à cobertura nitrogenada tardia diferiu entre as cultivares. O impacto da fertilização nitrogenada no espigamento foi maior quando se aplicou baixas doses de N na fase de desenvolvimento vegetativo. Os aumentos no rendimento de grãos obtidos com coberturas tardias deveram-se principalmente ao maior peso de grãos. Os híbridos contemporâneos são capazes de absorver N depois do espigamento, contradizendo a hipótese de que coberturas nitrogenadas tardias não são eficientes para aumentar o rendimento de grãos do milho.

Palavras-chave : Zea mays; nitrogênio; época de aplicação; produtividade.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons