SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.64 número4Variabilidade genética entre e dentro de populações naturais de Zeyheria montana mart. do Cerrado brasileiroComposição dos óleos essenciais de variedades de coloração de frutos de Eugenia brasiliensis Lam. índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Scientia Agricola

versão On-line ISSN 1678-992X

Resumo

VEASEY, Elizabeth Ann et al. Fenologia e diversidade morfológica de etnovariedades de batata-doce (Ipomoea batatas) do Vale do Ribeira. Sci. agric. (Piracicaba, Braz.) [online]. 2007, vol.64, n.4, pp.416-427. ISSN 1678-992X.  https://doi.org/10.1590/S0103-90162007000400013.

Avaliou-se a diversidade fenotípica de etnovariedades de batata-doce através de descritores morfológicos, visando verificar como esta diversidade está distribuída em nível de roças e comunidades do Vale do Ribeira, SP, Brasil. Foram avaliados, no total, 74 acessos, envolvendo 53 etnovariedades, coletadas em 30 roças, distribuídas em 18 comunidades de agricultores que praticam agricultura tradicional nos municípios de Iguape, Ilha Comprida e Cananéia, somadas a quatro variedades comerciais adquiridas em varejões de Iguape e Piracicaba. A avaliação foi realizada em condições experimentais ex situ em Piracicaba, SP. Foram avaliados nove descritores fenológicos e florais, nove descritores morfológicos da parte aérea e cinco da raiz. Os 14 descritores de parte aérea e raiz foram transformados em dados binários, totalizando 74 atributos. Foi realizada uma análise de agrupamento, empregando-se o coeficiente de similaridade de Jaccard e o método aglomerativo UPGMA (unweighted pair group method with arithmetic mean). Os dados binários foram também submetidos a uma análise de variância (AMOVA). Não se detectou formação de grupos definidos, indicando que não há estruturação espacial da diversidade para as etnovariedades, mas observou-se grande variação morfológica (índice de Jaccard variando de 0,12 a 1,0) na região estudada. A maior parte da variabilidade encontra-se distribuída dentro de roças (64,4%), seguida pela distribuição entre roças dentro de comunidades (27,1%) e entre comunidades (8,4%). Portanto, os agricultores tradicionais no Vale do Ribeira cultivam em suas roças grande diversidade morfológica de batata-doce, cuja origem pode ter sido gerada pelo sistema reprodutivo da espécie por alogamia, por eventuais mutações somáticas e pelo amplo sistema de trocas entre agricultores em âmbito local e regional.

Palavras-chave : agricultura tradicional; diversidade fenotípica; morfologia; variabilidade; variedades tradicionais.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons