SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.50 número4Polimorfismo do sistema HLA em uma amostra de mestiços da população de Teresina, PiauíAnálise retrospectiva da toxicidade de gotas otológicas, medicamentos tópicos nasais e orofaríngeos registrada na Grande São Paulo índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista da Associação Médica Brasileira

versão impressa ISSN 0104-4230versão On-line ISSN 1806-9282

Resumo

TAMANAHA, Sonia; ALDRIGHI, José Mendes; SANTOS, Roberto Euzébio dos  e  PRADO, Roberto Adelino Almeida. Sensibilidade e especificidade da histerossonografia nas afecções endometriais em mulheres assintomáticas pós-menopausa. Rev. Assoc. Med. Bras. [online]. 2004, vol.50, n.4, pp.427-432. ISSN 1806-9282.  https://doi.org/10.1590/S0104-42302004000400035.

OBJETIVOS: 1) Estimar sensibilidade e especificidade da histerossonografia nas afecções endometriais, utilizando-se como padrão-ouro a histeroscopia diagnóstica; 2) comparar concordância entre a ultra-sonografia, a histerossonografia e a histeroscopia através do índice de Kappa (K). MÉTODOS: Foram estudadas 50 mulheres assintomáticas após menopausa, todas tinham suspeita de afecções endometriais pela ultra-sonografia transvaginal e, por isso, complementaram avaliação endometrial com a histerossonografia, a histeroscopia diagnóstica e a biópsia orientada. Para comparação dos resultados entre esses exames utilizou-se índice de Kappa. RESULTADOS: Afecções endometriais mais freqüentes: pólipos (58%), sinéquias (20%), mioma submucoso (12%) e espessamento endometrial (6%). Cavidade normal (4%) dos exames histeroscópicos. A sensibilidade da histerossonografia para diagnóstico de pólipo foi de 89,7%; a especificidade de 81% e o (K) de 71,1%. Para sinéquia a sensibilidade foi de 80%, a especificidade 100% e o (K) de 86,5%; para mioma submucoso: a sensibilidade foi de 83,3%; a especificidade de 97,7% e o (K) de 81,1% e para espessamento endometrial a sensibilidade foi de 33,3%, a especificidade de 89,4% e o (K) de15,5%. CONCLUSÕES: A histerossonografia apresentou ótima concordância com a histeroscopia para sinéquias e miomas submucosos; boa concordância para pólipo e péssima concordância para espessamentos endometriais. Revelou-se, também, tratar-se de método simples, eficiente e que pode ser utilizado para a avaliação da cavidade uterina em mulheres após menopausa.

Palavras-chave : Histerossonografia; Pós-menopausa.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons