SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.63 número2Regulação da plasticidade e do trofismo muscular pelos ácidos graxos: uma breve revisãoRevisão sistemática do modelo de ablação dos músculos sinérgicos na hipertrofia compensatória índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista da Associação Médica Brasileira

versão impressa ISSN 0104-4230versão On-line ISSN 1806-9282

Resumo

OLIVEIRA, Ana Raquel Soares de et al. Hipomagnesemia e sua relação com a inflamação crônica de baixo grau na obesidade. Rev. Assoc. Med. Bras. [online]. 2017, vol.63, n.2, pp.156-163. ISSN 1806-9282.  http://dx.doi.org/10.1590/1806-9282.63.02.156.

Introdução:

O acúmulo de gordura visceral na obesidade está associado à produção excessiva de adipocinas pró-inflamatórias, o que contribui para o estado de inflamação crônica de baixo grau. A literatura também tem mostrado que a deficiência de minerais, em particular do magnésio, possui papel importante na patogênese desse distúrbio metabólico com repercussões clínicas relevantes.

Objetivo:

Trazer informações atualizadas sobre a participação da hipomagnesemia na inflamação crônica de baixo grau em indivíduos obesos.

Método:

Bases de dados Pubmed, SciELO, Lilacs e ScienceDirect, utilizando as palavras-chave: "obesity", "magnesium" e "low grade inflammation".

Resultados:

As evidências científicas sugerem que a deficiência de magnésio favorece a manifestação da inflamação crônica de baixo grau em indivíduos obesos.

Conclusão:

É evidente a participação do magnésio, por meio de reações bioquímicas e metabólicas, na proteção contra esse distúrbio metabólico presente na obesidade.

Palavras-chave : obesidade; magnésio; inflamação crônica de baixo grau.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )