SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.28 número2Desempenho de cultivares de alface tipo americana em cultivo de outono no sul de Minas GeraisEfeito de extratos orgânicos, associados ao surfactante tween 80, na germinação e crescimento de plântulas de alface índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Ciência e Agrotecnologia

versão impressa ISSN 1413-7054

Resumo

REGHIN, Marie Yamamoto; OTTO, Rosana Fernandes  e  VINNE, Jhony Van Der. Efeito da densidade de mudas por célula e do volume da célula na produção de mudas e cultivo da rúcula. Ciênc. agrotec. [online]. 2004, vol.28, n.2, pp.287-295. ISSN 1413-7054.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-70542004000200006.

O experimento foi conduzido em Ponta Grossa (PR) com o objetivo de avaliar o efeito da densidade de mudas por célula em diferentes bandejas na produção de mudas e no cultivo da rúcula. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados com quatro repetições; os tratamentos foram distribuídos conforme esquema fatorial 4 x 2, sendo densidades de mudas por célula (uma, duas, três e quatro), e dois tipos de bandejas de poliestireno expandido (200 e 288 células). A semeadura foi realizada em 28/03/2003, com sementes da cultivar Cultivada, em células preenchidas com o substrato Plantmax, sob cultivo protegido. Antes do transplante, avaliaram-se as características de número de folhas definitivas, comprimento da parte aérea e da raiz, matéria fresca e seca da parte aérea e da raiz. O transplante foi realizado aos 17 dias da semeadura, em parcelas com 40 plantas dispostas no espaçamento 0,20 x 0,10 m. Na colheita, aos 20 dias do transplante, foram avaliadas as características de comprimento da parte aérea, número de folhas, matéria fresca e seca por planta. No estádio de mudas, observou-se efeito significativo de interação para algumas características avaliadas. O volume da célula foi um fator importante na produção de mudas e dependente da densidade. A melhor qualidade de muda foi proveniente de bandejas com 200 células (16 cm3), quando comparada com as de 288 células (12 cm3). À medida que houve aumento da densidade de mudas por célula, observou-se maior efeito de competição, principalmente nas bandejas com 288 células. No entanto, o comportamento diferenciado das mudas provenientes das bandejas de 200 e 288 células não se manifestou durante o cultivo. Na época de colheita, somente a característica de comprimento da parte aérea diferiu estatisticamente, sendo superior nas plantas provenientes da bandeja com 200 células. Por outro lado, a densidade de mudas promoveu respostas diferentes na produção da rúcula. Houve diminuição no comprimento da parte aérea, número de folhas, peso da matéria fresca e seca produzida por planta, em resposta à pressão de competição promovida pelo aumento da densidade. Considerando o rendimento de matéria fresca, a densidade contribuiu diretamente para o incremento dessa característica. Observou-se a média de 1,4 kg m-2, quando se usou a densidade de uma muda e de 6,4 kg m-2 com quatro mudas. Para os dois tipos de bandejas, à medida que houve aumento da densidade de mudas, houve resposta linear crescente na matéria fresca por área.  Como a forma de comercialização predominante para a rúcula é em maços, o rendimento promovido pela densidade de quatro mudas, tanto na bandeja de 200 como na de 288 células, apresentou-se como a alternativa mais adequada.

Palavras-chave : Eruca sativa L.; produção de mudas; densidade de mudas; tamanho da célula.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons