SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.29 número1Eficiência do Bacillus thuringiensis var. kurstaki (Berliner, 1915) no controle da traça da cera Galleria mellonella (Linnaeus, 1758) (Lepidoptera: Pyralidae)Influência das épocas de cultivo e do estabelecimento do consórcio na produção de tomate e alface consorciados índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Ciência e Agrotecnologia

versão impressa ISSN 1413-7054versão On-line ISSN 1981-1829

Resumo

BARBOSA FILHO, Morel Pereira; FAGERIA, Nand Kumar  e  SILVA, Osmira Fátima da. Fontes, doses e parcelamento da adubação nitrogenada em cobertura para feijoeiro comum irrigado. Ciênc. agrotec. [online]. 2005, vol.29, n.1, pp.69-76. ISSN 1981-1829.  https://doi.org/10.1590/S1413-70542005000100008.

A adoção de sistemas conservacionistas de preparo de solo aumentou consideravelmente nos últimos anos, e uma das tecnologias demandadas nesses sistemas refere-se ao manejo da adubação de cobertura com nitrogênio. Assim, desenvolveu-se por três anos consecutivos, dois experimentos em um Latossolo Vermelho distroférrico, com os objetivos de comparar os efeitos de diferentes doses de N (uréia e sulfato de amônio) e determinar a necessidade de parcelamento do N durante o ciclo do feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.). Os critérios de avaliação foram o rendimento de grãos e a análise financeira. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados com parcelas subdivididas, sendo as parcelas formadas pelas doses de N (0, 60, 90, 120 e 150 kg ha-1 de N) e as subparcelas pelo número de aplicações de N em cobertura (P1 = aplicação aos 30 dias após emergência das plântulas (dae), P2 = aos 15 e 30 dae e P3 = 15, 30 e 45 dae). A uréia constituiu um experimento e o sulfato de amônio outro. Realizou-se a comparação entre as duas fontes  por meio da análise conjunta dos experimentos. A uréia e o sulfato de amônio não diferiram significativamente, em termos de rendimento de grãos nas safras de 1999 e 2001. A aplicação do N duas ou três vezes resultou em um rendimento de grãos significativamente maior do que a aplicação apenas uma vez, aos 30 dae. A dose pode variar de 120 a 150 kg ha-1 de N, sendo a uréia o fertilizante que apresentou maior margem de lucro.

Palavras-chave : Phaseolus vulgaris L.; fertilizantes nitrogenados; sistema  de  cultivo  irrigado; rotação  de  culturas; cultivo  mínimo.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons