SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.29 número3Caracterização molecular de acessos de capim-elefante utilizando marcadores RAPDMultiplicação in vitro da amoreira-preta 'ÉBANO' em diferentes concentrações de meio MS e BAP índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Ciência e Agrotecnologia

versão impressa ISSN 1413-7054versão On-line ISSN 1981-1829

Resumo

ERIG, Alan Cristiano  e  SCHUCH, Márcia Wulff. Morfogênese in vitro de brotos de macieira (Malus domestica Borkh.) a partir de fragmentos delgados de folhas. Ciênc. agrotec. [online]. 2005, vol.29, n.3, pp.575-581. ISSN 1981-1829.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-70542005000300010.

O pré-requisito para se obter sucesso na transformação genética de plantas, e também para a multiplicação rápida do genótipo modificado pela micropropagação, é um protocolo de regeneração eficiente. Objetivou-se com este trabalho estudar a expressão do potencial morfogenético de fragmentos delgados de folhas de macieira e otimizar um protocolo de regeneração visando futuros trabalhos de transformação genética. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado, em esquema fatorial 3 x 2 x 6, com três cultivares de macieira (Galaxy, Maxigala e Mastergala), dois tipos de explantes (fragmentos finos de folhas cortados no sentido transversal e longitudinal), e seis concentrações de thidiazuron (TDZ) no meio de cultura (0; 4,54; 9,08; 13,62; 18,16 e 22,7 µM), totalizando 36 tratamentos. Os sais e vitaminas do meio MS foram acrescidos de mio-inositol (100 mg.L-1), sacarose (30 g.L-1), ágar (6 g.L-1) e adicionados de 1,6 µM ácido naftalenoacético (ANA). Foram utilizados frascos com capacidade para 150 mL com 6 mL de meio de cultura. Os explantes foram obtidos de plantas cultivadas in vitro, em fase de multiplicação, 45 dias após a repicagem, e se constituíram de finos fragmentos da parte mediana de folhas, cortados no sentido transversal (comprimento de 8 a 10 mm) ou longitudinal (comprimento de 10 a 12 mm), ambos com largura aproximada de 1 mm. A porcentagem de regeneração, a intensidade de formação de calo e o número de brotos por explante foram avaliados aos 45 dias de cultivo. A partir dos resultados obtidos concluiu-se que a expressão do potencial morfogenético dos fragmentos delgados de folhas cortados no sentido transversal é maior do que o daqueles cortados no sentido longitudinal, e o seu cultivo em meio de cultura com 4,54 µM de TDZ, propicia, simultaneamente, elevada porcentagem de regeneração, maior número de brotos e menor intensidade de calo.

Palavras-chave : Cultura de tecidos; regeneração de brotos; reguladores de crescimento; thidiazuron; tipo de explante.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons