SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.32 número2Enraizamento de estacas de Ginkgo biloba tratadas com ácido indolbutírico e ácido bóricoEnvolvimento de agricultores no processo seletivo de novas linhagens de feijoeiro índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Ciência e Agrotecnologia

versão impressa ISSN 1413-7054versão On-line ISSN 1981-1829

Resumo

TREVISAN, Renato et al. Enraizamento de estacas herbáceas de mirtilo: influência da lesão na base e do ácido indolbutírico. Ciênc. agrotec. [online]. 2008, vol.32, n.2, pp.402-406. ISSN 1981-1829.  https://doi.org/10.1590/S1413-70542008000200009.

O mirtilo (Vaccinium sp.) é uma espécie de clima temperado que, por ocasião do período vegetativo, produz abundante quantidade de material vegetal que pode ser utilizado na propagação. Objetivou-se verificar o potencial de enraizamento de estacas herbáceas de diferentes cultivares de mirtilo, tratadas ou não com ácido indolbutírico e com e sem lesão na base. O trabalho foi realizado em dois experimentos, testando a capacidade de enraizamento das cultivares Florida, Woodard, Bluegem, Bluebele, Clímax e Briteblue. No primeiro experimento, as estacas das cultivares foram tratadas com AIB (0, 2500, 5000 e 7500mgL-1). No segundo experimento utilizou-se 2000mgL-1 de AIB, em estacas com e sem lesão na base. O delineamento utilizado foi completamente casualizado com repetições e unidades experimentais adequadas para cada experimento. O uso do ácido indolbutírico e a lesão nas estacas, não proporcionaram estímulo na emissão de raízes adventícias; as cultivares apresentam potencial genético de enraizamento diferenciado, sendo que, a Bluebelle apresentou maiores porcentuais de estacas enraizadas, e a Clímax, os menores porcentuais.

Palavras-chave : Propagação vegetativa; estaquia; mirtilo; Vaccinium sp..

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons