SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 número5Qualidade fisiológica de sementes de berinjela osmocondicionadasEmulsão de sistemas contendo gema de ovo, polissacarídeos e óleo vegetal índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Ciência e Agrotecnologia

versão impressa ISSN 1413-7054

Resumo

AQUINO, Regimeire Freitas et al. Variabilidade espacial da erosividade da chuva na região sul de Minas Gerais, Brasil. Ciênc. agrotec. [online]. 2012, vol.36, n.5, pp.533-542. ISSN 1413-7054.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-70542012000500006.

Foram estudadas a erosividade e sua variabilidade espacial para cinquenta e quatro estações pluviométricas do Sul de Minas Gerais (48º00' - 44º00'W; 23º50' - 20º00'S) visando à implementação do planejamento do uso local da terra. Para tanto, determinou-se o fator erosividade para séries de precipitação pluviométrica, utilizando dados de precipitações obtidas junto à Agencia Nacional de Água - ANA, constituindo-se séries históricas que variaram de 15 a 40 anos. Os índices de erosividade mensais e anuais foram obtidos, utilizando a equação de Fournier utilizada em Lavras, MG e a variabilidade espacial da erosividade foi realizada com base nos princípios da geoestatística, considerando-se apenas a distância que os separa, construindo-se o semivariograma experimental isotrópico. O ajuste do semivariograma foi realizado com base no método dos Mínimos Quadrados Ponderados e no grau de dependência espacial. Definida a estrutura e o ajuste do semivariograma passou-se à fase de geração dos mapas de krigagem, gerando o comportamento espacial das erosividades, na região Sul de Minas Gerais. Observou-se que a região Sul de Minas Gerais apresenta elevados padrões de erosividade, com amplitude de 5.145 a 7.776 MJ mm ha-1 h-1 ano-1, para Ijaci (região norte) e Itajubá (região sul), respectivamente. Os índices de erosividade da região do Sul de Minas Gerais foram considerados elevados e com forte influência da topografia, associados às características climáticas. Maiores erosividades estão associadas às áreas de maior altitude, como ao longo da Serra da Mantiqueira e em planaltos e serras elevadas no centro-norte da região. A abordagem geoestatística com dados de longo prazo de chuva para a região Sul de Minas Gerais, que é uma região relativamente heterogênea em termos de altitude, profundidade do solo e declive, mostrou-se adequada à proposta do presente estudo.

Palavras-chave : Potencial erosivo; sustentabilidade do solo; krigagem.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons