SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.40 número3Pressões de contato e o impacto de conjuntos motomecanizados em Latossolo com presença e ausência de palhada de cana-de-açúcar índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Ciência e Agrotecnologia

versão impressa ISSN 1413-7054versão On-line ISSN 1981-1829

Resumo

TORQUETI, Sabrina Thereza dos Santos et al. Fonte alternativa de potássio no cultivo do girassol ornamental. Ciênc. agrotec. [online]. 2016, vol.40, n.3, pp.257-264. ISSN 1981-1829.  http://dx.doi.org/10.1590/1413-70542016403036115.

O Brasil é dependente da importação de fertilizantes, especialmente os potássicos. Rochas e minerais que apresentem nutrientes têm potencial de utilização na agricultura como fertilizante, especialmente aqueles de solubilização lenta e que apresentem efeito residual. Neste contexto, objetivou-se avaliar a viabilidade da rocha glauconita como fonte de potássio para cultivo do girassol ornamental. O experimento foi instalado em condições controladas arranjado em delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 4x4+4, com quatro repetições e uma planta por parcela. Utilizaram-se quatro fertilizantes à base de glauconita como fonte de potássio: glauconita farelada fina, glauconita farelada fina organomineral, glauconita farelada grossa e glauconita farelada grossa organomineral, em quatro doses, além de um tratamento adicional com quatro doses de KCl, principal fonte convencional do nutriente. Avaliou-se a altura das hastes florais, diâmetro da haste e do capítulo floral, número de dias de cultivo e durabilidade pós-colheita. A aplicação de KCl proporcionou a produção de hastes florais com altura superior e maior diâmetro do capítulo floral em relação ao fornecimento da glauconita. Dentre os fertilizantes à base de glauconita, o produto farelado fino organomineral proporcionou melhores características das flores. A durabilidade comercial das hastes florais na pós-colheita foi maior nas plantas que receberam a glauconita e a glauconita farelada fina organomineral. A glauconita farelada fina organomineral supera as demais fontes alternativas de potássio em relação às características agronômicas avaliadas.

Palavras-chave : Helianthus annuus; glauconita; nutrição mineral; planta ornamental; pós-colheita.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )