SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.2 número4O desejo na Grécia ArcaicaUn caso para la clínica de las psicosis: Vaslav Nijinsky. Un caso paradigmático de la investidura narcisista del cuerpo y del devenir psicótico índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental

versão impressa ISSN 1415-4714versão On-line ISSN 1984-0381

Resumo

SOUZA, Mériti de. A cordialidade como mal-estar ou a violência como o recalcado. Rev. latinoam. psicopatol. fundam. [online]. 1999, vol.2, n.4, pp.123-142. ISSN 1984-0381.  https://doi.org/10.1590/1415-47141999004008.

Neste estudo problematizamos a constituição da subjetividade orientada pelo discurso que adota o mito do brasileiro cordial como modelo identificatório. Utilizando do referencial psicanalítico, analisamos discursos presentes na história nacional que abordam essa questão, interrogando sobre o recalque da violência e suas conseqüências sobre a subjetividade. Avaliamos que o discurso da cordialidade funciona como forma de controle e de manutenção do status quo, ao gratificar e oferecer uma representação pretensamente valorizada do brasileiro. Ainda, esse discurso produz o recalque da violência e o seu retorno sob a forma de domínio, ou seja, de exercício do controle sobre o coro e o desejo do outro, manifesto nas práticas de dominação social e sexual. Os modelos identificatórios da cordialidade e do domínio, funcionam como extremos complementares, associados ao recalque da violência. Finalizando, perguntamos sobre as práticas psicoterápicas e psicanalíticas desenvolvidas no cenário nacional, a partir da inserção de psicoterapeutas e psicanalistas nesse contexto cultural.

Palavras-chave : Cordialidade; recalque; modelo identificatório; violência.

        · resumo em Espanhol | Francês | Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )