SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.16 número1Tendências e diversidade na utilização empírica do Modelo Demanda-Controle de Karasek (estresse no trabalho): uma revisão sistemáticaPrevalência e fatores associados à desnutrição e ao excesso de peso em menores de cinco anos nos seis maiores municípios do Maranhão índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Epidemiologia

versão impressa ISSN 1415-790X

Resumo

CORTES, Taísa Rodrigues et al. Hábito de assistir televisão e obesidade abdominal entre mulheres fumantes: resultados de um estudo transversal de base populacional no Brasil. Rev. bras. epidemiol. [online]. 2013, vol.16, n.1, pp.137-145. ISSN 1415-790X.  http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2013000100013.

OBJETIVO:

Investigar a associação entre a frequência assistindo televisão e obesidade abdominal (OA) entre mulheres brasileiras, segundo o hábito de fumar.

MÉTODOS:

Foram analisados os dados de 13.262 mulheres adultas (18-49 anos) estudadas na Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde (PNDS-2006), um estudo transversal, com amostragem probabilística complexa, de representatividade nacional. OA, definida como circunferência da cintura ≥ 80.0 cm, foi considerada como desfecho. A frequência assistindo televisão (≥ 5 vezes/semana, 1-4 vezes/semana, < 1 vez/semana) foi a principal variável de exposição e o hábito de fumar (sim ou não) a principal covariável. Foram estimadas razões de prevalência por meio de modelos de regressão de Poisson, para fumantes e não fumantes separadamente.

RESULTADOS:

Observou-se interação estatisticamente significante entre frequência assistindo televisão e hábito de fumar (p < 0,05). A prevalência de OA entre mulheres fumantes que assistiam televisão ≥ 5 vezes/semana foi de 59,0%, e maior do que 35,0% entre aquelas que assistiam televisão < 1 vez/semana (p-valor = 0,02). Os valores de OA para não fumantes foram 55,2% e 55,7%, respectivamente. Fumantes que assistiam televisão ≥ 5 vezes/semana apresentaram chance 1,7 (1,1 - 2,5) vezes maior de ter OA, comparadas aquelas que relataram assistir televisão < 1 vez/semana. Não se observou associação significante para não fumantes.

CONCLUSÃO:

Assistir televisão ≥ 5 vezes/semana pode aumentar a prevalência de OA entre as mulheres fumantes. Informações mais detalhadas sobre a frequência de assistir televisão, como o número de horas por dia, podem oferecer melhores estimativas.

Palavras-chave : Circunferência da cintura; Obesidade abdominal; Televisão; Tabagismo; Estudo de base populacional; Saúde da mulher.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )