SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 número3Desvantagem auditiva psicossocial e fatores associados em trabalhadores do setor da construção em Mato Grosso, BrasilRedistribuição de gordura corporal e alterações no metabolismo de lipídeos e glicose em pessoas vivendo com HIV/AIDS índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Epidemiologia

versão impressa ISSN 1415-790Xversão On-line ISSN 1980-5497

Resumo

MURARO, Ana Paula et al. Efeitos da classe econômica e mobilidade social no crescimento linear desde a infância até a adolescência. Rev. bras. epidemiol. [online]. 2017, vol.20, n.3, pp.514-525. ISSN 1980-5497.  http://dx.doi.org/10.1590/1980-5497201700030013.

Objetivo:

Avaliar o efeito da classe econômica na infância e mobilidade social no crescimento linear ao longo da adolescência em uma coorte de base populacional.

Métodos:

Crianças nascidas entre 1994 - 1999 em Cuiabá-MT, no centro-oeste do Brasil foram avaliadas pela primeira vez durante 1999 - 2000 (0 - 5 anos) e novamente durante 2009 - 2011 (10 - 17 anos), sendo a estatura-para-idade avaliada nestes dois períodos. O Critério Brasil foi usado para classificar a classe econômica da família de cada criança como baixo, médio ou alto. A mobilidade social foi categorizada como mobilidade ascendente ou nenhuma mobilidade ascendente (manutenção e mobilidade descendente). Foram utilizados modelos lineares de efeitos mistos.

Resultados:

Foram avaliadas 1.716 crianças (71,4% da linha de base) após 10 anos de seguimento, e 60,6% das famílias mostraram mobilidade ascendente, com uma percentagem mais elevada entre as classes econômicas mais baixas. Também foi observada uma maior altura-para-idade entre aqueles de famílias com elevada classe econômica, tanto na infância (baixa classe econômica= -0,35 z-score; elevada classe econômica = 0,15 z-score, p < 0,01) e adolescência (baixa classe econômica= -0,01 z-score; elevada classe econômica= 0,45 z-score, p < 0,01), ao passo que a mobilidade ascendente não afetou o crescimento linear.

Conclusão:

Foi observada expressiva mobilidade social, mas a classe econômica na infância e a mobilidade social não apresentaram influência significativa na taxa de crescimento linear durante a infância nesta coorte do Centro-Oeste brasileiro.

Palavras-chave : Nível socioeconômico; Mobilidade social; Crescimento; Estudos de coortes; Adolescente; Criança.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )