SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 número3Redistribuição de gordura corporal e alterações no metabolismo de lipídeos e glicose em pessoas vivendo com HIV/AIDSPerfil epidemiológico da tuberculose no município de São Paulo de 2006 a 2013 índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Epidemiologia

versão impressa ISSN 1415-790Xversão On-line ISSN 1980-5497

Resumo

RAMOS, Cynthia Graciane Carvalho et al. Contexto familiar e atividade física de adolescentes: cotejando diferenças. Rev. bras. epidemiol. [online]. 2017, vol.20, n.3, pp.537-548. ISSN 1980-5497.  http://dx.doi.org/10.1590/1980-5497201700030015.

Introdução:

O contexto familiar desempenha papel importante sobre a prática de atividade física (AF) de adolescentes. As intensas mudanças na composição familiar, com aumento das estruturas monoparentais, podem modular de maneira distinta esse comportamento.

Objetivo:

Estimar a prevalência de AF e associação da sua prática em meninos e meninas de 11 a 17 anos com variáveis de contexto familiar, ajustado por características sociodemográficas e estado nutricional.

Métodos:

Estudo transversal de base populacional, denominado “Saúde em Beagá”, realizado em dois distritos sanitários de Belo Horizonte. O desfecho foi AF ≥ 300 minutos/semana, criado a partir de um escore que combinou tempo e frequência de deslocamento para a escola e AF de lazer. As variáveis do contexto familiar foram: presença dos pais e de adulto ativo no domicílio. Foi utilizada regressão de Poisson com variância robusta, estratificada por sexo.

Resultados:

Participaram 1.015 adolescentes, sendo 52,8% meninos e idade média de 14 (± 1,9) anos. A prevalência de AF foi de 38,8% para meninas e de 54,5% para meninos. Entre meninas, as variáveis de contexto familiar não foram significativamente associadas à AF. Meninos foram mais ativos quando havia um adulto no domicílio que praticava AF (RP = 1,26; IC95% 1,02 - 1,55) e quando moravam somente com a mãe (RP = 1,63; IC95% 1,01 - 2,63). Observou-se, ainda, que meninos que moravam com mãe e pai (RP = 1,90; IC95% 1,06 - 3,41) ou somente com mãe (RP = 1,82; IC95% 1,01 - 3,27) praticavam em maior frequência AF no seu tempo de lazer.

Conclusão:

A presença de adulto no domicílio, em especial a mãe, parece ser importante fator associado à prática de AF de meninos.

Palavras-chave : Atividade física; Adolescentes; Composição familiar; Sexo; Saúde urbana; Prevalência.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )