SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 suppl.3Dados para a saúde: impacto na melhoria da qualidade da informação sobre causas de óbito no BrasilAvaliação do impacto da investigação dos óbitos com códigos garbage na qualidade da informação sobre causas de morte no nordeste do Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Epidemiologia

versão impressa ISSN 1415-790Xversão On-line ISSN 1980-5497

Resumo

BENEDETTI, Maria Soledade Garcia et al. Estudo avaliativo do projeto de investigação de óbitos por códigos garbage na região Norte do Brasil. Rev. bras. epidemiol. [online]. 2019, vol.22, suppl.3, e19006.supl.3.  Epub 28-Nov-2019. ISSN 1980-5497.  https://doi.org/10.1590/1980-549720190006.supl.3.

Introdução:

O termo “código garbage” (CG) é usado para designar uma causa básica de óbito pouco útil para o setor de saúde, uma vez que não permite identificar adequadamente ações para prevenção e controle das doenças e agravos de saúde. Objetivo: avaliar os resultados da investigação de óbitos por CG em 17 municípios da região Norte no ano de 2017.

Métodos:

Estudo transversal sobre a investigação dos óbitos por CG em hospitais públicos de 17 municípios dos 7 estados da região Norte, como parte do projeto Dados para a Saúde do Ministério da Saúde (MS). Nesses hospitais foram revisadas as causas básicas de morte dos óbitos ocorridos em 2017 e aplicado o protocolo de investigação de CG do MS.

Resultados:

Em 2017, ocorreram 37.082 óbitos nos 17 municípios que participaram do estudo, destes, 29,3% (n = 10.878) eram CG total e, destes, 83,2% eram CG prioritários. Dentre os CG prioritários, 25,9% foram investigados e, destes, 79,1% mudaram a causa básica.

Discussão:

Observou-se uma grande variação entre os 17 municípios em relação à proporção de CG. Chama atenção que 13 municípios estudados reclassificaram a causa básica de morte em pelo menos 70% dos casos investigados para os CG prioritários.

Conclusão:

Apesar da melhoria ocorrida com redução na proporção de CG como causa básica de morte nos municípios analisados, ainda se faz necessário maior investimento em capacitação de profissionais e ampliação dos serviços que investigam os óbitos, de modo a permitir a sustentabilidade do projeto na região.

Palavras-chave : Brasil; Causa básica de morte; Avaliação em saúde.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )