SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.19 número2Determinantes macroeconômicos dos investimentos no Brasil: um estudo para o período 1996-2012 índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista de Economia Contemporânea

versão impressa ISSN 1415-9848versão On-line ISSN 1980-5527

Resumo

TEIXEIRA, Joanílio Rodolpho  e  FERREIRA, Paula Felix. O capital fictício e crise econômica: visões para um novo paradigma*. Rev. econ. contemp. [online]. 2015, vol.19, n.2, pp.191-202. ISSN 1980-5527.  https://doi.org/10.1590/198055271921.

Este artigo tem o propósito inicial de conceituar o que é capital fictício e questionar seu papel na narrativa econômica ortodoxa. Outro objetivo é demonstrar os efeitos prejudiciais deste capital no Brasil. O capital fictício é toda rentabilidade proveniente da valoração derivada e artificial de um capital aplicado, já sem atuação na produção. Sua presença massiva sinaliza uma contradição interna no capitalismo atual, ainda que o pensamento convencional continue a se basear na crença de que crises econômicas são decorrentes de eventos exógenos e inesperados. A crise provém não de eventos aleatórios ou ao acaso, mas da dissociação entre circulação e produção, o que possibilita seu surgimento. Deste modo, a primeira parte deste artigo analisa a teoria do valor e do capital fictício como expressa por Marx e a heterodoxia; a segunda parte busca elucidar suas principais implicações para o caso brasileiro, e questiona a fé irrevogável que a ortodoxia tem na narrativa de crises supostamente surgidas de modelos de equilíbrio.

Palavras-chave : capital fictício; heterodoxia; crises; pensamento econômico..

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )