SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 número1POLÍTICA INDUSTRIAL COMO INSTITUIÇÃO DESENVOLVIMENTISTA: UMA CRÍTICA AO "NOVO DESENVOLVIMENTISMO" BASEADA NAS EXPERIÊNCIAS DE BRASIL E COREIA DO SUL índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista de Economia Contemporânea

versão impressa ISSN 1415-9848versão On-line ISSN 1980-5527

Resumo

SALOMAO, Ivan. DO ESTRANGULAMENTO EXTERNO À MORATÓRIA: A NEGOCIAÇÃO BRASILEIRA COM O FMI NO GOVERNO FIGUEIREDO (1979-1985). Rev. econ. contemp. [online]. 2016, vol.20, n.1, pp.5-27. ISSN 1980-5527.  https://doi.org/10.1590/198055272011.

O processo de endividamento externo adotado nos anos 1970 esteve diretamente associado à necessidade de financiamento do II PND. A necessidade de legitimação do regime discricionário compeliu o governo a inserir a economia brasileira de modo imprudente no circuito financeiro internacional. Após o segundo choque do petróleo, em 1979, a política econômica da tecnocracia resumiu-se a administrar a crise do balanço de pagamentos. Estabeleceu-se, então, uma longa e hesitante negociação com o FMI e com os credores internacionais, e as divergências dela decorrentes ensejaram a decretação da moratória da dívida externa anos depois.

Palavras-chave : dívida externa; FMI; governo Figueiredo..

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )