SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.121 issue6First household survey on drug abuse in São Paulo, Brazil, 1999: principal findings author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Sao Paulo Medical Journal

Print version ISSN 1516-3180On-line version ISSN 1806-9460

Abstract

TORQUATO, Maria Teresa da Costa Gonçalves et al. Prevalência de diabetes mellitus e intolerância a glicose na população urbana de 30 a 69 anos em Ribeirão Preto (SP) - Brasil. Sao Paulo Med. J. [online]. 2003, vol.121, n.6, pp.224-230. ISSN 1806-9460.  https://doi.org/10.1590/S1516-31802003000600002.

CONTEXTO: A prevalência de diabetes mellitus tem aumentado, em decorrência das mudanças no estilo de vida e do aumento da expectativa de vida da população. . No Brasil, o estudo que avaliou as prevalências de diabetes e intolerância a glicose foi o Estudo Multicêntrico Brasileiro, realizado de 1986 a 1988. OBJETIVO: Determinar a prevalência de diabetes e intolerância a glicose na população urbana, de 30 a 69 anos, do município de Ribeirão Preto (SP), Brasil. TIPO DE ESTUDO: Estudo transversal com inquérito domiciliar em duas etapas. LOCAL: Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil. PARTICIPANTES: Amostra randomizada de 1.473 indivíduos. MÉTODOS: O planejamento amostral adotado foi de conglomerados em estágios considerando sexo, faixa etária e renda do chefe dos domicílios Os indivíduos eram rastreados com glicemia capilar de jejum (GCJ). Aqueles com resultado positivo (glicemia capilar em jejum > 100 mg/dl) e a cada sétimo com resultado negativo (< 100 mg/dl) eram submetidos a sobrecarga oral com 75 g de glicose. Os diagnósticos de diabetes e intolerância a glicose foram baseados nos critérios da Organização Mundial da Saúde. RESULTADOS: As prevalências de diabetes e de intolerância a glicose foram de 12,1 e de 7,7%, respectivamente. Homens e mulheres apresentaram freqüências semelhantes de diabetes (12,0 versus 12,1%) e intolerância a glicose (7,9 versus 7,3%). Diferenças entre brancos (11,6%) e não-brancos (13,3%) para diabetes não foram significantes, enquanto a intolerância a glicose foi mais prevalente em brancos . As prevalências de diabetes e intolerância a glicose variaram de 3,3% e 2,6%, no grupo de 30-39 anos, a 21,7% e 11,3% no grupo de 60-69 anos, respectivamente. Indivíduos obesos (índice de massa corpórea > 30 kg/m2) e aqueles com história familiar de diabetes (parentes de primeiro grau) apresentaram prevalência maior de diabetes: 22,6% e 19,7%, respectivamente. CONCLUSÕES: A prevalência de diabetes em Ribeirão Preto se mostrou comparável à observada em países desenvolvidos. Em relação ao Estudo Multicêntrico Brasileiro, verificamos maior prevalência de diabetes, mas prevalência semelhante de intolerância a glicose. Estes achados podem refletir o impacto dos fatores ambientais e de estilo de vida, que têm ocorrido em cidades brasileiras como Ribeirão Preto, principalmente nas taxas crescentes de sedentarismo e obesidade.

Keywords : Diabetes mellitus; Intolerância a glicose; Prevalência; Brasil.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License