SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.125 issue3Prevalence of metabolic syndrome in a rural area of BrazilAccuracy of anemia diagnosis by physical examination author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Sao Paulo Medical Journal

Print version ISSN 1516-3180On-line version ISSN 1806-9460

Abstract

VITAL JUNIOR, Pedro Félix; MARTINS, José Luiz  and  PETERLINI, Fábio Luís. Anorretoplastia sagital posterior em anomalias anorretais: avaliação clínica, manométrica e profilométrica. Sao Paulo Med. J. [online]. 2007, vol.125, n.3, pp.163-169. ISSN 1806-9460.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-31802007000300007.

CONTEXTO E OBJETIVO: As anomalias anorretais correspondem a um espectro de malformações de tratamento difícil mesmo nos dias de hoje. O objetivo foi avaliar crianças portadoras de anomalias anorretais altas e intermediárias, operadas pela anorretoplastia sagital posterior quanto à continência fecal através da manometria anorretal e profilometria computadorizadas. TIPO DE ESTUDO E LOCAL: Trabalho prospectivo, na Universidade Federal de São Paulo. MÉTODO: Avaliamos 82 pacientes agrupados em continentes, parcialmente continentes e incontinentes quanto a idade, sexo e variáveis padronizadas na manometria anorretal e profilometria. Os resultados foram analisados estatisticamente. RESULTADOS: Dos 82 pacientes 37,8% eram continentes, 25,6% parcialmente continentes e 36,6% incontinentes. A média da pressão de repouso à manometria anorretal foi de 22 mmHg, sendo entre os continentes, parcialmente continentes e incontinentes, respectivamente de 30,7 mmHg, 23 mmHg e 14,7 mmHg. A média da resposta pressórica à contração voluntária foi de 56 mmHg, sendo entre os continentes 65,4 mmHg, parcialmente continentes 55,8 mmHg e incontinentes 46,6 mmHg. O reflexo reto-esfincteriano encontrava-se ausente em 82,9% dos casos. Predominaram na profilometria as cores azul (20 a 50 mmHg) e amarela (50 a 80 mmHg), quando todo o grupo foi analisado conjuntamente, com padrão semelhante entre os continentes e parcialmente continentes; nos incontinentes, destacaram-se as cores verde (< 20 mmHg) e azul. CONCLUSÕES: A manometria anorretal computadorizada e a profilometria mostraram-se úteis na avaliação do comportamento pressórico esfincteriano, assim como no acompanhamento pós-operatório e planejamento terapêutico dos pacientes.

Keywords : Criança; Canal anal; Anus imperfurado; Manometria; Incontinência fecal.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License