SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.134 número2Ingestão de carnes em adultos: estudo de base populacional na cidade de Campinas, Brasil. Um estudo transversalImpacto da pesquisa em saúde nos avanços de conhecimento, construção de capacidades de pesquisa e políticas informadas por evidências: um estudo de caso sobre a morbimortalidade materna no Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Sao Paulo Medical Journal

versão impressa ISSN 1516-3180versão On-line ISSN 1806-9460

Resumo

SBRANA, Mariana et al. Consumo de álcool durante a gravidez e resultados perinatais: um estudo de coorte. Sao Paulo Med. J. [online]. 2016, vol.134, n.2, pp.146-152.  Epub 18-Mar-2016. ISSN 1806-9460.  https://doi.org/10.1590/1516-3180.2015.02040211.

CONTEXTO E OBJETIVO:

O consumo de álcool durante a gravidez é um problema social significativo que pode estar associado a resultados perinatais adversos. O objetivo deste estudo foi descrever o consumo de álcool na gestação e avaliar sua associação com recém-nascido de baixo peso, pequeno para idade gestacional e pré-termo.

TIPO DE ESTUDO E LOCAL:

Estudo de coorte aninhado, na cidade de Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil.

Foram avaliadas 1.370 mulheres e seus recém-nascidos. Foi aplicado às mães um questionário padronizado sobre saúde e hábitos de vida. Antropometria foi realizada nos recém-nascidos. MÉTODOS:Consumo de álcool foi definido como baixo, moderado e elevado segundo a Organização Mundial de Saúde. Foi utilizada análise de regressão logística ajustada.

RESULTADOS:

23% das gestantes consumiram álcool durante a gravidez. A maior parte do consumo ocorreu no primeiro trimestre (14,8%) e diminuiu conforme progredia a gravidez. A mediana de ingestão de álcool foi de 3,89 g (interval interquartil, IIQ = 8 g) por dia. Na análise não ajustada, o consumo de álcool aumentou em quase duas vezes (odds ratio , OR 1,91, intervalo de confiança, IC 95%; 1,25-2,92) o risco de baixo peso, que se reduziu após ajuste (OR 1,62; IC 95%; 1,03-2,54). Não houve associação entre consumo de álcool e pequeno para idade gestacional ou pré-termo. Observou-se maior risco de baixo peso, neonato pequeno para idade gestacional e pré-termo em gestantes simultaneamente fumadoras e bebedoras.

CONCLUSÕES:

O consumo de álcool na gestação foi de 23% e esteve associado independentemente com o baixo peso ao nascer, mas não houve risco para neonato pequeno para idade gestacional e pré-termo.

Palavras-chave : Consumo de bebidas alcoólicas; Gravidez; Recém-nascido de baixo peso; Recém-nascido pequeno para a idade gestacional; Nascimento prematuro..

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )