SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.134 número4Poluição do ar e doenças respiratórias: estudo ecológico de série temporalNíveis de pressão arterial e índice de massa corporal em adultos brasileiros com síndrome de Down índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Sao Paulo Medical Journal

versão impressa ISSN 1516-3180versão On-line ISSN 1806-9460

Resumo

MARCOLINO, Milena Soriano et al. Avaliação econômica dos novos anticoagulantes para a prevenção de eventos tromboembólicos: análise de custo-minimização. Sao Paulo Med. J. [online]. 2016, vol.134, n.4, pp.322-329.  Epub 18-Jul-2016. ISSN 1806-9460.  http://dx.doi.org/10.1590/1516-3180.2016.0019260216.

CONTEXTO E OBJETIVO:

Estudos clínicos randomizados demonstraram que novos anticoagulantes orais têm pelo menos impacto semelhante em reduzir eventos tromboembólicos quando comparados à varfarina, com perfil de segurança similar ou superior. Há pouca evidência acerca de custos reais na prática clínica. Nosso objetivo é realizar análise econômica dessas estratégias, na perspectiva do sistema de saúde pública e da sociedade brasileiros.

TIPO DE ESTUDO E LOCAL:

Análise de custo-minimização; Clínica de Anticoagulação do Hospital Municipal Odilon Behrens, Belo Horizonte, MG, Brasil.

MÉTODOS:

Os pacientes da clínica de anticoagulação foram recrutados de agosto a outubro de 2011, com tempo mínimo de acompanhamento de quatro semanas. Custos operacionais e não operacionais foram computados e corrigidos para 2015.

RESULTADOS:

Este estudo incluiu 633 pacientes, com idade mediana de 62 (intervalo interquartil 49-73) anos, sendo 59% mulheres. O tempo médio de acompanhamento foi de 64 ± 28 dias. O custo médio por paciente por mês foi de $ 54.26 (dólares). Custos diretos foram responsáveis por 32,5% do custo total. Destes, 69,5% foram relacionados aos profissionais de saúde. Em relação aos custos indiretos, 52,4% estavam relacionados ao absenteísmo ao trabalho e 47,6% ao transporte. Apixaban, dabigatran e rivaroxaban são vendidos a órgãos públicos brasileiros, respectivamente, a um preço médio mensal de $ 49.87, $ 51.40 e $ 52.26 por paciente por mês, valores inferiores aos custos relacionados ao tratamento com varfarina.

CONCLUSÃO:

No contexto brasileiro, na perspectiva do sistema de saúde pública e da sociedade, os custos cumulativos por paciente em uso de varfarina acompanhados em clínica de anticoagulação são atualmente superiores à estratégia de prescrever novos anticoagulantes orais.

Palavras-chave : Anticoagulantes; Varfarina; Fibrilação atrial; Custos e análise de custo; Saúde pública.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )