SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.31 número3Efeito de dois regimes de suplementação alimentar e dois sistemas de produção, nos constituintes sangüíneos de cabras Saanen durante a lactaçãoDigestão total e parcial de alguns componentes de dietas contendo diferentes níveis de casca de soja e Fontes de nitrogênio, em bovinos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Zootecnia

versão impressa ISSN 1516-3598versão On-line ISSN 1806-9290

Resumo

SILVA, Leandro das Dores Ferreira da et al. Degradabilidade ruminal in situ da matéria seca e proteína bruta de duas variedades de grão de soja com diferentes teores de inibidor de tripsina, em bovinos. R. Bras. Zootec. [online]. 2002, vol.31, n.3, pp.1251-1257. ISSN 1806-9290.  https://doi.org/10.1590/S1516-35982002000500023.

Foram utilizados quatro bovinos da raça holandesa canulados no rúmen, distribuídos em blocos, ao acaso, alimentados a pasto de coast-cross (Cynodon dactylon). Os animais foram suplementados com ração concentrada contendo grãos de soja moídos colocados no rúmen, às sete e às dezoito horas. Em todos os animais foram incubados sacos de náilon com amostras de cada tratamento: grãos de soja comercial moídos (S), grãos de soja comercial moídos e parcialmente desengordurados (SD), grãos de soja com baixo inibidor de tripsina moídos (SBIT); grãos de soja com baixo inibidor de tripsina moídos e parcialmente desengordurados (SBITD); e farelo de soja (FS). Determinaram-se os desaparecimentos no rúmen da matéria seca (MS), matéria orgânica (MO) e proteína bruta (PB) nos tempos de 6, 24 e 48 horas. As solubilidades da MS, MO e da PB do S foram superiores às determinadas para o SBIT. A degradabilidade potencial (DP) apresentou valores semelhantes entre os alimentos. A degradabilidade efetiva (DE) da MS e MO dos SBS foi 9% menor que os valores observados para S e a DE da PB do SBIT foi aproximadamente 6% menor. Todos os alimentos apresentaram altas velocidades de degradação dos componentes estudados, variando de 5%/hora para o FS a 15%/hora para SBITD, enquanto os SBIT apresentaram menor taxa de degradação. Estes valores sugerem que estes alimentos devem ser associados a outros com menores velocidades de fermentação nas rações de ruminantes, para que haja melhor sincronismo entre liberação de amônia, aminoácido, peptídeos e cetoácidos no rúmen, quando for necessário maximizar a produção de proteína microbiana e/ou aumentar a quantidade de proteína bypass.

Palavras-chave : solubilidade; matéria orgânica; degradabilidade potencial; degradabilidade efetiva; taxa de degradação.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons