SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 número4Efeitos do aquecimento e do alongamento na resposta neuromuscular dos isquiotibiaisBurnout e enfrentamento em jogadores de futebol: fases pré e durante competição índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Medicina do Esporte

versão impressa ISSN 1517-8692

Resumo

GUIMARAES, Aline Dias; MACHADO, Soraia Pinheiro; FRANCA, Ana Karina Texeira da Cunha  e  CALADO, Isabela Leal. Transtornos alimentares e insatisfação com a imagem corporal em bailarinos. Rev Bras Med Esporte [online]. 2014, vol.20, n.4, pp.267-271. ISSN 1517-8692.  https://doi.org/10.1590/1517-86922014200401399.

INTRODUÇÃO:

Os transtornos alimentares (TA) tornaram-se um problema relevante de saúde pública. Paralelamente a esse fato, observa-se aumento na frequência de problemas associados à percepção da imagem corporal. Esses transtornos alimentares são mais incidentes em praticantes de esportes que preconizam o baixo peso corporal, como o balé clássico.

OBJETIVO:

Determinar a prevalência de comportamentos de risco de transtornos alimentares e insatisfação com a imagem corporal em bailarinos adolescentes na cidade de São Luís, MA, Brasil.

MÉTODOS:

Realizou-se estudo transversal com 30 bailarinos clássicos, não profissionais de ambos os sexos, com idade de 15 a 19 anos. Para avaliação do comportamento de risco de anorexia nervosa, utilizou-se o teste de atitudes alimentares (EAT-26), e para o comportamento de risco de bulimia nervosa, o teste de investigação bulímica de Edimburgo (BITE). A imagem corporal foi avaliada por meio do questionário de imagem corporal (BSQ).

RESULTADOS:

A prevalência de comportamentos de risco de TA foi de 30,0% para anorexia nervosa, de acordo com o EAT-26 e, segundo a escala de sintomas do BITE, 40,0% apresentaram comportamento de risco de bulimia nervosa. Além disso, o BSQ identificou que 26,7% dos bailarinos estavam insatisfeitos com sua imagem. Analisando o comportamento de risco de TA e a insatisfação com a imagem corporal, por sexo, não houve diferença estatisticamente significante (p > 0,05).

CONCLUSÃO:

A alta incidência de insatisfação com a imagem corporal associada à grande prevalência de comportamentos de risco de TA encontrada neste estudo ratifica que a prática do balé parece ser um fator primordial para o aumento da suscetibilidade desses bailarinos desenvolverem TA.

Palavras-chave : dança; anorexia nervosa; bulimia nervosa; imagem corporal.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )