SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 número2Infectividade natural por Xylella fastidiosa Wells et al. de cicadelíneos (Hemiptera: Cicadellidae) de lavouras cafeeiras do ParanáÁcaros associados à cultura da soja no Rio Grande do Sul índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Neotropical Entomology

versão impressa ISSN 1519-566Xversão On-line ISSN 1678-8052

Resumo

REIS, Paulo R.; TEODORO, Adenir V.; PEDRO NETO, Marçal  e  SILVA, Ester A. da. História de vida de Amblyseius herbicolus (Chant) (Acari: Phytoseiidae) em cafeeiro. Neotrop. Entomol. [online]. 2007, vol.36, n.2, pp.282-287. ISSN 1678-8052.  https://doi.org/10.1590/S1519-566X2007000200016.

O ácaro predador Amblyseius herbicolus (Chant) é o segundo fitoseídeo mais abundante em cafeeiro (Coffea arabica L.), após Euseius alatus DeLeon, na região de Lavras, MG, associado ao vetor do vírus da mancha-anular, Brevipalpus phoenicis (Geijskes) (Acari: Tenuipalpidae). Sua história de vida foi estudada levando em conta aspectos biológicos, tabela de vida, atividade predatória e respostas funcional e numérica em função da densidade de presa. Foi constatada longevidade de 38 dias para fêmeas adultas quando alimentadas com B. phoenicis. A estimativa da capacidade inata de crescimento da população (rm) foi 0,150 e a duração média de uma geração (T) 25,3 dias. A população dobrou a cada 4,6 dias. Trinta ácaros B. phoenicis /arena de folha de cafeeiro (3 cm de diâmetro) foram oferecidos separadamente para um espécime de cada fase do ácaro predador. Fêmeas adultas foram mais eficientes na predação de todas as fases do desenvolvimento do ácaro-presa, seguidas das fases ninfais. Para o estudo das respostas funcional e numérica, a presa foi oferecida nas densidades de 0,14 a 42,3 formas imaturas de B. phoenicis /cm2 de arena, por serem preferidas para predação. A predação e oviposição de A. herbicolus aumentam com o aumento da densidade de presa, com uma correlação positiva e altamente significativa. A análise de regressão realizada sugere uma resposta funcional do tipo II, com uma predação máxima diária de aproximadamente 35 B. phoenicis /cm2 /fêmea adulta.

Palavras-chave : Biologia; fitoseídeo; resposta funcional; resposta numérica; Coffea arabica.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons