SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.32 número3Adesão às medidas de controle ambiental em lares de crianças e adolescentes asmáticosEficácia do formoterol na reversão imediata do broncoespasmo índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Jornal Brasileiro de Pneumologia

versão impressa ISSN 1806-3713versão On-line ISSN 1806-3756

Resumo

KUSSEK, Paulo; ROSARIO FILHO, Nelson Augusto  e  CAT, Mônica. Avaliação da hiperresponsividade brônquica à solução salina hipertônica em crianças e adolescentes. J. bras. pneumol. [online]. 2006, vol.32, n.3, pp.195-201. ISSN 1806-3756.  https://doi.org/10.1590/S1806-37132006000300004.

OBJETIVO: Avaliar a hiperresponsividade brônquica à solução salina hipertônica a 4,5% como método alternativo a outros agentes broncoconstritores e sua relação com a sensibilização alérgica do paciente. MÉTODOS: Estudo transversal, experimental, com 85 indivíduos assim distribuídos: 45 no grupo de asmáticos e 17 no grupo controle não asmáticos e não alérgicos, que completaram o teste. Para nebulizar a solução salina hipertônica foi utilizado um nebulizador ultra-sônico de grande volume, sucessivamente durante 0,5, 1, 2, 4 e 8 minutos até haver queda > 15% em relação ao volume expiratório forçado no primeiro segundo basal. A dosagem de imunoglobulina E específica ao Dermatophagoides pteronyssinus por ImmunoCap foi considerada positiva quando > 0,35 kU/L. RESULTADOS: No grupo de asmáticos, 36 apresentaram queda média do volume expiratório forçado no primeiro segundo de 27,4% após nebulização de solução salina hipertônica. Nenhum do grupo controle (imunoglobulina E < 0,35 kU/L) apresentou resposta à solução salina hipertônica e a queda média do volume expiratório forçado no primeiro segundo foi de 9%. Nove asmáticos tiveram provocação brônquica negativa. A freqüência de provocação brônquica positiva foi maior nos indivíduos com imunoglobulina E específica elevada, o que indica uma relação entre hiperresponsividade brônquica e o nível sérico de imunoglobulina E específica. A sensibilidade do teste foi de 80% e a especificidade de 92%. CONCLUSÃO: A inalação de solução salina hipertônica é um método de provocação útil para avaliar hiperresponsividade brônquica em crianças e adolescentes, com adequadas sensibilidade e especificidade, além do baixo custo e necessidade de poucos equipamentos.

Palavras-chave : Testes de provocação brônquica; Hiperreatividade brônquica; Solução salina hipertônica; Administração por inalação; Asma; Criança; Adolescente.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons