SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 special issueElections and CEO successions in Brazilian state-owned companiesSecurities Lending and Short Selling author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Gestão de Negócios

Print version ISSN 1806-4892On-line version ISSN 1983-0807

Abstract

CARVALHO, Antonio Gledson de  and  MARQUES, Felipe Tumenas. A microestrutura do mercado brasileiro de títulos privados. Rev. bras. gest. neg. [online]. 2020, vol.22, n.spe, pp.482-500.  Epub July 10, 2020. ISSN 1983-0807.  http://dx.doi.org/10.7819/rbgn.v22i0.4061.

Objetivo:

O governo brasileiro aprovou regulamentos para promover o mercado de títulos privados. Em 2009, a Instrução 476 da Comissão de Valores Mobiliários relaxou as exigências para a emissão de títulos. Em 2011, a Lei 12.431 criou os títulos de infraestrutura, que permitem a isenção de impostos para pessoas físicas. Desde então, os proventos totais mais que triplicaram. Descrevemos a evolução do mercado de títulos brasileiro, as características das emissões e os emitentes, e avaliamos essa evolução de maneira crítica.

Metodologia:

Análise descritiva. Dados sobre o total de emissões; características dos títulos (proventos, vencimentos, rendimentos, subscrição); características dos emitentes; mercado secundário (negociação); desempenho (taxas de inadimplência e renegociação); e problemas de colocação.

Resultados:

As emissões de títulos são pequenas e apresentam vencimento no curto prazo. As agências internacionais são as principais fornecedoras de classificação de risco, utilizando uma escala de classificação ajustada ao Brasil. Os títulos de renda fixa são raros. A grande maioria dos títulos regulares está atrelada à taxa de juros interbancária (DI ou CDI). Apenas dois bancos universais locais dominam a atividade de subscrição. Esses bancos e suas partes relacionadas recebem mais da metade da alocação total. Menos da metade das emissões recebeu a classificação de grau de investimento e mais da metade sequer possui classificação. A incidência de eventos de crédito ex-post, mais frequentemente na forma de renegociação dos prazos dos títulos. A inadimplência estrita também é alta. A liquidez dos títulos no mercado secundário é baixa.

Contribuições:

Até onde sabemos, este é o primeiro artigo que descreve a microestrutura do mercado de títulos brasileiro.

Keywords : Brasil; títulos; mercado de títulos; mercado de capitais.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )