SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.44 issue3Effect of priming and seed-coating when associated with Bacillus subtilis in maize seedsAllelopathic action of ethyl-acetate extract of the leaves of Solanum cernuum Vell author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Ciência Agronômica

On-line version ISSN 1806-6690

Abstract

SHIMANO, Iris Satie Hayashi  and  SENTELHAS, Paulo Cesar. Risco climático para ocorrência de doenças fúngicas da videira no Sul e Sudeste do Brasil. Rev. Ciênc. Agron. [online]. 2013, vol.44, n.3, pp.527-537. ISSN 1806-6690.  https://doi.org/10.1590/S1806-66902013000300015.

A ocorrência de doenças fúngicas na videira é fortemente influenciada pelas condições climáticas. No Brasil, a videira Vitis labrusca é cultivada em diversas regiões, desde o Rio Grande do Sul até o norte de Minas Gerais, as quais apresentam distintas características climáticas e, consequentemente, requerem diferentes estratégias de controle das doenças fúngicas. Com base nisto, o objetivo deste trabalho foi determinar o risco climático de ocorrência de doenças fúngicas em diferentes regiões produtoras do Sul e Sudeste do Brasil, utilizando um modelo de previsão de pulverizações, baseado na ocorrência de chuva. Para tanto, foram empregados dados pluviométricos diários de séries históricas de 30 anos das regiões de Manga (MG), Jales (SP), Jundiaí (SP), São Miguel Arcanjo (SP), Marialva (PR) e Caxias do Sul (RS). Foi determinado o número de pulverizações pelo sistema do calendário (NPcalendário) e pelo sistema pluviométrico (NPchuva), em função da duração do ciclo em cada localidade para os diferentes períodos de safra, referentes a cada época de poda. Em Caxias do Sul, onde as chuvas são mais abundantes e bem distribuídas, o RC [=(NPchuva/NPcalendário)*100] variou de 50 a 55% entre as podas de agosto e setembro, enquanto que na região de Manga o RC variou de 1% nas podas de maio a 24% para as podas de fevereiro. Nas demais regiões, o RC apresentou valores entre 16 e 56%, demonstrando que o risco de ocorrência dessas doenças é variável com o clima e que o monitoramento das condições meteorológicas pode auxiliar para a recomendação racional de pulverizações para o controle de doenças fúngicas na videira Vitis labrusca.

Keywords : Videira; Plantas-doenças e pragas; Vegetação e clima.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License