SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.42 número3Prevalência de dentes supranumerários em pacientes atendidos no Hospital Universitário da UFPI: um estudo retrospectivo de cinco anosAvaliação em curto e médio prazo da sorção e da solubilidade de resinas compostas à base de metacrilato e de silorano em saliva artificial índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista de Odontologia da UNESP

versão On-line ISSN 1807-2577

Resumo

SOUZA, Mônica Irma Aparecida Valdeci de; AZEVEDO, Elcilaine Rizzato; SANTOS-PINTO, Lourdes Aparecida Martins dos  e  ZUANON, Ângela Cristina Cilense. Resistência à tração diametral de cimentos de ionômero de vidro submetidos à aplicação de ondas de ultrassom. Rev. odontol. UNESP [online]. 2013, vol.42, n.3, pp.172-175. ISSN 1807-2577.  https://doi.org/10.1590/S1807-25772013000300005.

INTRODUÇÃO: O cimento de ionômero de vidro é um material odontológico que apresenta limitações de uso devido às suas propriedades mecânicas, como baixa resistência ao desgaste, microdureza, compressão e tração diametral. Com base nisso, este estudo investigou o efeito da excitação ultrassônica sobre o CIV, em diferentes tempos de aplicação, por meio da resistência à tração diametral. MATERIAL E MÉTODO: Os materiais utilizados foram o Ketac Molar Easymix (KME) e o Ketac Cem Easymix (KCE). Foram confeccionados 10 corpos de prova para cada condição estudada: grupo controle, e os grupos que receberam aplicação de ultrassom por 15s, 30s e 45s, para ambos materiais. A excitação ultrassônica foi aplicada durante a reação de presa inicial do CIV, logo após sua inserção na matriz de silicone. Os valores de resistência à tração diametral foram analisados pelo teste Shapiro Wilk e Anova (α = 0.05). RESULTADO: A aplicação de excitação ultrassônica não apresentou efeito estatisticamente significante na resistência à tração diametral dos materiais testados, independente do tempo de aplicação (p > 0,05). O KME apresentou resistência estatisticamente maior que o KCE (p = 0,023). CONCLUSÃO: A utilização das ondas ultrassônicas não influenciou na resistência à tração diametral dos CIV testados independentemente do seu tempo de aplicação.

Palavras-chave : Resistência à tração diametral; cimento de ionômero de vidro; ultrassom.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons