SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.29 número4Validação para a população brasileira da Escala de Dominância Télica (TDS) no contexto esportivoA formação de atletas de basquetebol: quantificação do tempo de prática e do número de jogos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Educação Física e Esporte

versão impressa ISSN 1807-5509versão On-line ISSN 1981-4690

Resumo

DEL DUCA, Giovâni Firpo; NAHAS, Markus Vinicius; GARCIA, Leandro Martin Totaro  e  PERES, Marco Aurélio. Como gênero e escolaridade interagem nos padrões de inatividade física em diferentes domínios em adultos?. Rev. bras. educ. fís. esporte [online]. 2015, vol.29, n.4, pp.653-661. ISSN 1981-4690.  http://dx.doi.org/10.1590/1807-55092015000400653.

O objetivo do estudo foi identificar interação entre gênero e escolaridade na ocorrência de inatividade física em diferentes domínios (deslocamento, domicílio, lazer e trabalho) em adultos de Florianópolis, Santa Catarina. Os dados foram coletados de setembro/2009 a janeiro/2010 com indivíduos de 20 a 59 anos. Empregou-se um delineamento transversal de base populacional e a inatividade física em cada domínio foi definida como a não participação em atividades físicas específicas, avaliadas por questionário validado aplicado por entrevistas face a face. Foram entrevistados 1720 adultos. Nos homens, a prevalência de inatividade física foi mais elevada do que entre as mulheres no deslocamento (56,9% versus 44,5%; p < 0,001, respectivamente) e no domicílio (79,0% versus 40,4%; p < 0,001 respectivamente). No lazer, a inatividade física foi mais frequente entre as mulheres (58,1% versus 45,5%; p < 0,001). Interações entre gênero e escolaridade foram estatisticamente significativas no deslocamento (p = 0,004), domicílio (p < 0,001) e lazer (p = 0,04). No deslocamento, os homens foram mais inativos do que as mulheres dos cinco aos oito anos completos de estudo. A inatividade física no domicilio foi maior entre os homens em todos os níveis de escolaridade, com redução na magnitude das diferenças percentuais entre os gêneros, conforme o aumento da escolaridade. No lazer, as mulheres foram mais inativas do que os homens a partir dos nove anos de estudo. Constataram-se diferentes interações entre gênero e escolaridade conforme os padrões de inatividade física em seus diferentes domínios.

Palavras-chave : Atividade motora; Esforço físico; Educação; Gênero; Saúde; Estudos epidemiológicos.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )