SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.81 issue3Comparison of methods for evaluation of antimicrobial activity and determination of minimum inhibitory concentration (mic) of aqueous and ethanol plant extractsEffects of Isaria (Persoon) isolates on the subterranean termite Coptotermes gestroi (Wasmann) (Isoptera: Rhinotermitidae) author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Arquivos do Instituto Biológico

On-line version ISSN 1808-1657

Abstract

FUJII, Keila Youko; DITTRICH, João Ricardo; CASTRO, Edilene Alcântara de  and  SILVEIRA, Emanuel Orestes da. Processos de tratamento de resíduos de cocheira e a redução ou eliminação de ovos e larvas infectantes do gênero Strongylus spp. Arq. Inst. Biol. [online]. 2014, vol.81, n.3, pp.226-231. ISSN 1808-1657.  https://doi.org/10.1590/1808-1657000482012.

Objetivou-se neste trabalho caracterizar os processos de compostagem de resíduos de cocheira e avaliar a eficiência deles na redução ou na eliminação de ovos e larvas infectantes de Strongylus spp. Os tratamentos de compostagem utilizados foram: aberta sem revolvimento em menor volume (CASRm) e maior volume (CASRM); aberta com revolvimento em menor volume (CAm) e maior volume (CAM); e anaeróbica em biodigestor (CF), em três repetições. As variáveis monitoradas foram temperatura, umidade, presença de parasitos no início e no final do período experimental. No primeiro dia de avaliação, a temperatura no centro das CASRM e CAM atingiu seu máximo, próximo a 60ºC, permanecendo acima de 50ºC nos três primeiros dias. No restante do período experimental, manteve-se ao redor de 30ºC. Antes da aplicação dos tratamentos, observou-se elevada contaminação por larvas de Strongylus spp. (25,3 larvas por grama de resíduo). Ao final do período experimental, considerando o centro das compostagens, houve redução das larvas infectantes de terceiro estágio, da seguinte ordem: 97% (CAM), 87% (CAm), 90% (CASRM) e 100% (CF), e de apenas 26% para o tratamento CASRm. Na parte superficial das compostagens não foram encontrados parasitas em nenhum dos tratamentos. A umidade superficial do composto no final do experimento foi de aproximadamente 17 a 30%, e a interna, de 40 a 60%. Ovos de helmintos permaneceram viáveis, mesmo após o processo de compostagem e o tratamento térmico. Os resultados indicam que com a simples disposição dos resíduos de cocheira sem manejo adequado e em pequenos volumes, não há eliminação total de ovos e de larvas infectantes de Strongylus spp.

Keywords : compostagem; larvas infectantes; temperatura.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )