SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.19 issue2TORACOLOMBAR BURST FRACTURES AND SPINOPELVIC BALANCEUSE OF SUBLAMINAR BANDS FOR ADOLESCENT IDIOPATHIC SCOLIOSIS - A SYSTEMATIC REVIEW author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Coluna/Columna

Print version ISSN 1808-1851On-line version ISSN 2177-014X

Abstract

LUGAO, ARIEL FALBEL; SILVEIRA JUNIOR, CLOVIS CASTANHO; TEIXEIRA, WILLIAM GEMIO JACOBSEN  and  CRISTANTE, ALEXANDRE FOGAÇA. A ESCALA SINS NA AVALIAÇÃO DE DOENTES COM METÁSTASE NA COLUNA VERTEBRAL, RELACIONADA À ESTABILIDADE. Coluna/Columna [online]. 2020, vol.19, n.2, pp.137-141.  Epub May 15, 2020. ISSN 2177-014X.  https://doi.org/10.1590/s1808-185120201902224003.

Objetivo

Avaliar a distribuição de doentes atendidos no pronto-socorro do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo nas categorias “estável”, “indeterminada” e “instável” pela escala SINS.

Métodos

Levantaram-se prontuários dos doentes atendidos entre maio e setembro de 2013. Foram avaliados os doentes com diagnóstico de metástase vertebral e obtidos dados sobre idade, sexo, localização primária, situação neurológica, presença e intensidade da dor no repouso e no movimento. Os critérios da escala SINS foram utilizados para pontuação do comprometimento radiológico da coluna.

Resultados

Foram incluídos 81 doentes com média de idade de 59,57 anos; 32 (39,51%) homens e 49 (60,49%) mulheres, sendo que a mama (19,75%), próstata (18,52%) e pulmão (17,28%) foram as localizações primárias mais comuns. Apenas 18 doentes (22,22%) apresentaram lesão isolada e 51 (62,96%) apresentaram 3 ou mais lesões metastáticas. Do total, 56 (69,14%) apresentaram coluna com estabilidade indeterminada; 19 (23,46%) estável e 6 (7,41%) instável. Vinte e dois (27,2%) apresentaram déficit neurológico ao exame físico. Dos doentes com déficit grave, Frankel A ou B, nenhum apresentou coluna estável através da classificação SINS. Todas as lesões instáveis apresentaram-se com desvio cifótico e/ou escoliótico (p<0,001). A maioria dos pacientes com lesões indeterminadas (78,6%) apresentou dor de caráter mecânico e todos os pacientes com lesão instável apresentaram dor mecânica (p=0,001).

Conclusões

Nessa série de casos, o uso da escala SINS teve uma taxa elevada de doentes com coluna classificada como indeterminada (69,14%). Há um número elevado de doentes com metástases múltiplas (62,96%), fato não considerado pela SINS como modificador nos critérios de instabilidade e que precisa ser alvo de novos estudos. Nível de evidência IV; Serie de casos.

Keywords : Coluna Vertebral; Neoplasias da Coluna Vertebral; Vértebras Lombares; Vértebras Cervicais; Dor Lombar; Emergências.

        · abstract in English | Spanish     · text in English     · English ( pdf )