SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.16 número1Legal tech: analytics, inteligência artificial e as novas perspectivas para a prática da advocacia privadaDESENVOLVIMENTO DA MEDIAÇÃO ON-LINE: “APENAS ADICIONAR TECNOLOGIA” ENFRAQUECE O PRINCIPAL OBJETIVO DA MEDIAÇÃO? índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Direito GV

versão On-line ISSN 2317-6172

Resumo

DAVIS, Anthony E.. O FUTURO DOS ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA (E DOS ADVOGADOS) NA ERA DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL. Rev. direito GV [online]. 2020, vol.16, n.1, e1945.  Epub 30-Mar-2020. ISSN 2317-6172.  https://doi.org/10.1590/2317-6172201945.

Este artigo explora o futuro dos advogados e dos escritórios de advocacia à luz das mudanças que a Inteligência Artificial (“IA”) já está trazendo para o universo dos serviços jurídicos. A Parte I descreve brevemente algumas das maneiras pelas quais a IA já está sendo usada na vida cotidiana, do reconhecimento facial, passando pelo diagnóstico médico, até os serviços de tradução. A Parte II descreve como a IA está transformando o que significa prestar serviços jurídicos em seis áreas principais: revisão de litígios; automação de expertise; pesquisa legal; análise de contrato; geração de documentos contratuais e contenciosos; e análise preditiva. A Parte III explora quem são os fornecedores desses serviços jurídicos orientados à IA - geralmente prestadores de serviços jurídicos que não são advogados - e como esses prestadores estão substituindo pelo menos parte do que os clientes tradicionalmente procuram em advogados. A Parte III também discute as implicações de todas essas mudanças, tanto para o futuro papel dos advogados individualmente quanto particularmente para os serviços para os quais os clientes ainda precisarão de advogados: julgamento, empatia, criatividade e adaptabilidade. Por sua vez, essa parte examina o que essas mudanças significam para o tamanho, a forma, a composição e o modelo econômico dos escritórios de advocacia, bem como as implicações dessas mudanças na educação jurídica e no treinamento de advogados. A Parte IV identifica as principais questões jurídicas, éticas, regulatórias e de gerenciamento de riscos levantadas pelo uso da IA ​​na prestação de serviços jurídicos. Por fim, na Parte V, considera-se quem serão os prováveis provedores ​​de serviços baseados em IA que não sejam escritórios de advocacia: editores jurídicos, as principais empresas de contabilidade e negócios de capital de risco.

Palavras-chave : Inteligência Artificial (IA); prestadores de serviços jurídicos; advogados; escritórios de advocacia; futuro dos serviços jurídicos.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )