SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.12 issue2Biosocial Activism, Identities and Citizenship: Making up 'people living with HIV and AIDS' in Brazil. author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Vibrant: Virtual Brazilian Anthropology

On-line version ISSN 1809-4341

Abstract

MAIO, Marcos Chor  and  SANTOS, Ricardo Ventura. Antirracismo e os usos da ciência no pós-2a. Guerra Mundial: uma análise das primeiras declarações sobre raça da Unesco (1950 e 1951). Vibrant, Virtual Braz. Anthr. [online]. 2015, vol.12, n.2, pp.1-26. ISSN 1809-4341.  https://doi.org/10.1590/1809-43412015v12n2p001.

Como parte de sua agenda antirracista e sob o impacto da Segunda Guerra Mundial, a UNESCO buscou negar o valor científico do conceito de raça a partir de reuniões e declarações envolvendo cientistas sociais e naturais. Consideramos que, ao contrário da expectativa da UNESCO, o genocídio nazista não levou os cientistas a um consenso sobre um conhecimento científico que questionasse radicalmente o conceito de raça. Um leque de posições foi observado nas discussões do painel de especialistas (1949) produzindo a primeira Declaração sobre Raça (1950). Nosso argumento é que a UNESCO foi influenciada por uma perspectiva centrada no pressuposto de que a acumulação de dados científicos seria o melhor caminho para sustentar uma agenda política que procurasse negar o conceito de raça bem como combater o racismo. Reações à Primeira Declaração surgiram de imediato levando a UNESCO a convocar uma nova reunião para debater o conceito de raça em 1951.

Keywords : raça; racismo; Unesco; Antropologia; História da Ciência; Declaração sobre Raça.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )