SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.17 número1Incontinência urinária e noctúria: prevalência e impacto sobre qualidade de vida em idosas numa Unidade Básica de SaúdePercepção de idosos sobre grupo de convivência: estudo na cidade de Cajazeiras-PB índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia

versão impressa ISSN 1809-9823

Resumo

LEITE, Leni Everson Araújo et al. Estudo comparativo de variáveis antropométricas, de composição corporal e de funcionalidade entre idosos que praticam atividade física regular e irregular. Rev. bras. geriatr. gerontol. [online]. 2014, vol.17, n.1, pp.27-37. ISSN 1809-9823.  https://doi.org/10.1590/S1809-98232014000100004.

Introdução:

o impacto da atividade física regular e/ou irregular na composição corporal, massa e força muscular e funcionalidade em idosos é ainda pouco estudado.

Objetivo:

comparar variáveis antropométricas, espessura muscular e de gordura, mobilidade e força de preensão palmar de membros inferiores entre idosos regular e irregularmente ativos classificados pelo International Phisical Activity Questionnnaire.

Método:

estudo transversal com 75 idosos (14 homens e 61 mulheres) que praticavam atividade física regular (AFR=10) ou irregular (AFI=65). Variáveis antropométricas (índice de massa corporal, circunferências e dobras cutâneas), espessura muscular e de gordura (tríceps braquial, vasto lateral e gastrocnêmico medial [ultrassom]), força de preensão palmar (dinamômetro Crown), força de membros inferiores (teste de senta e levanta) e mobilidade foram coletadas da amostra de idosos. A atividade física foi avaliada através do International Phisical Activity Questionnnaire.

Resultados:

não foram encontradas diferenças significativas nas variáveis antropométricas, espessura muscular e de gordura e força entre os dois grupos (p>0,05). No entanto, no grupo de idosos que praticavam atividade física irregular, foi obtido melhor desempenho no teste de mobilidade do que nos idosos que praticavam atividade física regular (p<0,008). Esse resultado foi independente de sexo e idade (p=0,017).

Conclusão:

o estudo não encontrou diferenças significativas entre os idosos que praticam atividade física de forma regular ou irregular em relação à composição corporal e parâmetros de força. Contudo, os resultados sugerem que a prática de atividade física irregular pode ajudar a mobilidade dos idosos e prevenir quedas.

Palavras-chave : Envelhecimento; Idosos; Composição Corporal; Atividade Motora; Massa muscular; Aptidão functional.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )