SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.17 número5Relação entre testes de resistência de força com o kimono com parâmetros isocinéticos em atletas de jiu jitsuHierarquia de educação física objetivos como uma expressão de prioridades educativas entre professores Poloneses índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano

versão impressa ISSN 1415-8426versão On-line ISSN 1980-0037

Resumo

MELO, Gislane Ferreira de; AMERICO, Daniela Rosa  e  GLANER, Maria Fátima. Massa livre de gordura em idosas com sobrepeso e obesidade: análise da validade concorrente de equações de impedância bioelétrica. Rev. bras. cineantropom. desempenho hum. [online]. 2015, vol.17, n.5, pp.583-591. ISSN 1980-0037.  https://doi.org/10.5007/1980-0037.2015v17n5p583.

Os idosos têm apresentado maior dependência funcional e incapacidade, principalmente as mulheres, em decorrência da redução da massa muscular e óssea e do aumento progressivo da gordura corporal. Estas alterações nos componentes da composição corporal têm sido observadas por meio de diferentes técnicas. Nesse contexto, o objetivo neste estudo foi analisar a validade concorrente das equações de impedância bioelétrica para estimar a massa livre de gordura (MLG), do fabricante Valhalla7 e de Gray et al.8, em idosas brasileiras. A amostra (n= 34), com idade de 60-71 anos e estatura de 140-162cm, foi dividida em dois grupos (n= 17) por gordura relativa (G%) via DEXA: G% ≤41%, G% >41%. A DEXA foi usada como padrão ouro. Todos os coeficientes de correlação foram (r >0,79) satisfatórios. Nos dois grupos, a MLGValhalla (G% ≤41: 36,1±3,4kg; G% >41: 39,3±3,2kg) não diferiu (p>0,01) da MLGDEXA (38,7±3,7kg), no entanto, o EPE (2,114 kg) foi um pouco acima do recomendado no grupo G% >41. A MLGGray diferiu (p <0,01) da MLGDEXA nos dois grupos, ainda que o EPE tenha sido satisfatório (<1,8 kg) no grupo com G% ≤41. Os escores residuais mostraram a falta de concordância da MLGGray com a MLGDEXA, chegando até 7,08kg. Pela equação de Gray et al.8 ,somente 9% teve a MLG estimada dentro de um erro aceitável, enquanto que, pela equação Valhalla, 82%. Esta equação apresentou validade concorrente para as idosas com sobrepeso e obesidade.

Palavras-chave : Composição corporal; Estudos de validação; Idoso; Impedância elétrica; Validade dos testes.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )