SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.19 número4Associação entre obesidade, risco de quedas e medo de cair em mulheres idosasExposição a simultâneos domínios do comportamentosedentário e fatores sociodemográficos associados em servidores públicos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano

versão impressa ISSN 1415-8426versão On-line ISSN 1980-0037

Resumo

SARAIVA, Bruna Thamyres Ciccotti et al. Esteatose hepática pode comprometer o efeito do exercício físico sobre a composição corporal em crianças e adolescentes obesos?. Rev. bras. cineantropom. desempenho hum. [online]. 2017, vol.19, n.4, pp.459-468. ISSN 1980-0037.  https://doi.org/10.5007/19800037.2017v19n4p459.

O exercício físico é uma das formas de prevenção e tratamento da obesidade e doenças associadas como a esteatose hepática. Objetivou-se analisar se a esteatose hepática interfere no efeito do exercício físico sobre a composição corporal de crianças e adolescentes obesos. A amostra consiste em 40 indivíduos obesos, sendo 13 crianças (8,17±1,33 anos) e 27 adolescentes (12,28±1,36 anos). A composição corporal total e por segmento foi estimada pelo DEXA. Realizou-se medidas antropométricas, bem como, o exame de ultrassom do fígado para mensurar a gordura intra-abdominal e subcutânea, assim, diagnosticar a esteatose hepática (EH). A intervenção foi composta por 20 semanas, sendo aplicadas nas crianças, atividades lúdico-recreativas/competitivas e para os adolescentes, treinamento concorrente (aeróbio e resistido). Foram realizados os testes de Levene, ANOVA de medidas repetidas e o tamanho do efeito (TE) pelo Eta-Squared. Observou-se que, apesar de não obter significância estatística, analisando o tamanho do efeito, o exercício físico tanto nas crianças (gordura corporal TE efeito tempo= 0,210 e TE efeito grupo= 0,208; massa gorda TE efeito grupo= 0,338; gordura andróide TE efeito interação= 0,267), quanto nos adolescentes (gordura intra-abdominal TE efeito grupo=0,230), independentemente se tinham ou não a EH foi eficaz para reduzir a gordura corporal. Observa-se que o exercício físico foi eficaz na melhora da composição corporal de crianças e adolescentes obesos independente da EH.

Palavras-chave : Adolescente; Criança; Exercício; Fígado gorduroso; Obesidade.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )