SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.8 número1INFLUÊNCIA DOS RESÍDUOS DA COLHEITA DA FLORESTA DE ACÁCIA-NEGRA (Acacia mearnsii De Wild) SOBRE AS PERDAS DE ÁGUA E SOLOCARACTERIZAÇÃO ANATÔMICA DA MADEIRA DE Eucalyptus benthamii Maiden et Cambage índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Ciência Florestal

versão impressa ISSN 0103-9954versão On-line ISSN 1980-5098

Resumo

DURLO, Miguel Antão  e  DENARDI, Luciano. MORFOMETRIA DE Cabralea canjerana, EM MATA SECUNDARIA NATIVA DO RIO GRANDE DO SUL. Ciênc. Florest. [online]. 1998, vol.8, n.1, pp.55-66. ISSN 1980-5098.  https://doi.org/10.5902/19805098351.

Neste trabalho são apresentados os dados morfométricos, a relação hipsométrica entre diâmetro e altura e equações de fator de forma, de fator de forma comercial e de altura formal, para Cabralea canjerana, em mata secundária nativa do RS. Para a relação hipsométrica, foram testadas os modelos de Keylwerth, Petterson e Pollanschütz, para três diferentes estágios de desenvolvimento da mata, e o modelo de Näslund para todas as árvores em conjunto, utilizando-se o procedimento “stepwise”. Com o mesmo procedimento, utilizou-se o modelo de Pollanschütz para o fator de forma e o fator de forma comercial, e o modelo de Kennel para a altura formal. Os resultados demonstraram que o fator de forma da canjerana é dependente apenas de sua altura, e que o fator de forma comercial é uma função de sua altura comercial e seu DAP. Dos nove coeficientes da equação de Kennel, apenas quatro foram significativos ao nível de 95% de probabilidade. O modelo de Näslund mostrou-se o mais apropriado para descrever a relação hipsométrica da espécie estudada.

Palavras-chave : Canjerana; Cabralea canjerana; biometria florestal; floresta nativa.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )