SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.28 número2APORTE DE SERAPILHEIRA E NUTRIENTES EM UMA FLORESTA ESTACIONAL DECIDUAL NA REGIÃO CENTRAL DO RIO GRANDE DO SULPARTIÇÃO DA VARIAÇÃO FLORÍSTICO-ESTRUTURAL DO COMPONENTE ARBÓREO EM UMA FLORESTA OMBRÓFILA MISTA ALUVIAL NO SUL DO BRASIL índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Ciência Florestal

versão impressa ISSN 0103-9954versão On-line ISSN 1980-5098

Resumo

LIMA, Maria Salomé de et al. SOLOS FLORESTAIS EM FRAGMENTO DE FLORESTA URBANA NA MATA DE DOIS IRMÃOS, RECIFE, PERNAMBUCO, BRASIL. Ciênc. Florest. [online]. 2018, vol.28, n.2, pp.542-553. ISSN 1980-5098.  https://doi.org/10.5902/1980509832037.

O remanescente florestal que compõe o Parque Estadual Dois Irmãos (PEDI) é considerado como um dos maiores fragmentos florestais urbanos do Brasil. Há relatos no Parque da ocorrência de frequentes quedas de árvores sadias em condições naturais na reserva, o que pode comprometer seu equilíbrio natural e sua função como fragmento florestal urbano. É provável que este fenômeno possa estar associado com características químicas e físicas dos solos que compõem o PEDI. A presente pesquisa teve como objetivo avaliar química e fisicamente os solos do PEDI, identificando, mapeando e analisando o solo nas áreas de ocorrência de queda das árvores no locus da pesquisa. Foram mapeados 12 pontos de coleta de amostras em área representativa do PEDI. Amostras deformadas foram coletadas nas profundidades 0-0,10 m; 0,10-0,30 m; e 0,30-0,60 m e amostras não deformadas foram coletadas nas profundidades 0-0,05 m e 0,10-0,15 m. Nas amostras deformadas determinaram-se todos os atributos químicos e parte dos atributos físicos. Em amostras não deformadas determinaram-se apenas atributos físicos. Os solos do PEDI apresentaram baixa fertilidade natural. Mostraram reação ácida e com elevadas concentrações de Al3+ até 0,60 m de profundidade, que podem formar barreiras químicas que prejudicam o crescimento das raízes das plantas e podem estar causando a frequente queda de árvores no Parque. Os solos foram, em sua maioria, classificados como de textura argilosa a muito argilosa, muito permeáveis ao movimento vertical e lateral de água. Apresentaram uma elevada variabilidade na condutividade hidráulica e redução abrupta de umidade volumétrica com aplicação de pequenas tensões em camadas superficiais, além de maior retenção de água pelo Latossolo em subsuperfície. Com a finalidade de ampliar as informações e criar um banco de dados para estudos futuros, sugere-se o monitoramento das espécies mais vulneráveis à queda, além de analisar outros elementos químicos e físicos do solo do PEDI, como a abertura de perfis para compreender a dinâmica das raízes pivotantes.

Palavras-chave : queda de árvores; atributos químicos e físicos do solo; acidez de solos florestais.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )