SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.29 issue3Fire effects on the trees of a tropical pine forest and a tropical dry forest at Villaflores, Chiapas, MexicoWater retaining polymer and mineral fertilization in the implantation of hybrid the Eucalyptus urophylla x Eucalyptus grandis author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Ciência Florestal

Print version ISSN 0103-9954On-line version ISSN 1980-5098

Abstract

BRAGA, Elayne Oliveira  and  JARDIM, Mário Augusto Gonçalves. Florística, estrutura e formas de vida do estrato inferior de uma Floresta Ombrófila Densa Aluvial, Pará, Brasil. Ciênc. Florest. [online]. 2019, vol.29, n.3, pp.1048-1059.  Epub Dec 02, 2019. ISSN 1980-5098.  http://dx.doi.org/10.5902/1980509821834.

Este estudo teve como objetivo descrever a composição florística, a estrutura e as formas de vida do estrato inferior de uma floresta ombrófila densa aluvial na Área de Proteção Ambiental Ilha do Combu, Belém, Pará. Foram selecionadas quatro parcelas de 20 m x 20 m (0,16 ha) divididas em 1.289 subparcelas de 1 m². Foi classificada a categoria de tamanho e a forma de vida das espécies. Calculou-se a densidade, frequência, categoria de tamanho e regeneração natural relativa. A diferença de abundância, riqueza, índice de Shannon e equabilidade entre as categorias foi testada com ANOVA. Foram amostradas 33 famílias, 63 gêneros, 79 espécies e 26.885 indivíduos. Fabaceae, Araceae, Arecaceae, Acanthaceae e Meliaceae apresentaram maior riqueza. O Índice de Shannon e Equabilidade foram de 2,63 e 0,60, respectivamente para a área total. Pariana campestris e Anthurium sinuatum apresentaram maior densidade, categoria de tamanho e regeneração natural relativa. As herbáceas apresentaram maior porcentagem de indivíduos e regeneração natural relativa e as árvores a maior riqueza. CT1 (15 cm ≥ AT) foi diferente das demais categorias, apresentando menor abundância e riqueza. Conclui-se que a dominância de herbáceas em porcentagem de indivíduos e regeneração natural relativa e a menor abundância e riqueza na CT1 é consequência das atividades antrópicas realizadas como o manejo intensivo da palmeira-açaí (Euterpe oleracea Mart.) nas proximidades das áreas inventariadas.

Keywords : Floresta de várzea, Inventário florístico; Estuário amazônico..

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )