SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.12 número4IMPACTOS DO COMPROMETIMENTO COGNITIVO PARA DIFERENTES NÍVEIS E CAUSAS DE TRAUMATISMO CRANIOENCEFÁLICO E GRAU DE INSTRUÇÃO EM PACIENTES LESADOSOXFORD COGNITIVE SCALE – VERSÃO EM PORTUGUÊS DO BRASIL (OCS-BR): UM ESTUDO PILOTO índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Dementia & Neuropsychologia

versão impressa ISSN 1980-5764versão On-line ISSN 1980-5764

Resumo

SCHULTHEISZ, Thais Sisti De Vincenzo et al. EFEITO DAS OFICINAS DE ESTIMULAÇÃO COGNITIVA NA AUTOESTIMA E COGNIÇÃO DO IDOSO: UM PROJETO PILOTO. Dement. neuropsychol. [online]. 2018, vol.12, n.4, pp.421-426. ISSN 1980-5764.  http://dx.doi.org/10.1590/1980-57642018dn12-040013.

Segundo a OMS, em 2025 o Brasil ficará em sexto lugar no ranking mundial em termos de proporção de idosos na população. Nesse âmbito, a cognição desempenha um papel central no processo de envelhecimento, tendo uma importante associação com a qualidade de vida, o que sugere a necessidade de desenvolver programas de intervenção, como o treinamento cognitivo.

Objetivo:

Determinar os efeitos de um programa de oficinas de estimulação cognitiva na autoestima e cognição de idosos.

Métodos:

Trinta e oito idosos completaram o protocolo de três etapas: 1) Levantamento de dados demográficos e avaliação da cognição por uma bateria neuropsicológica e de autoestima utilizando a Escala de Autoestima de Rosenberg (RSS), antes do treinamento; 2) Participação em doze oficinas de estimulação cognitiva; e 3) Avaliação cognitiva e RSS após o treinamento.

Resultados:

Os resultados mostraram que o uso de treinamento produziu efeitos positivos no desempenho do teste cognitivo de idosos com e sem comprometimento cognitivo. Por extensão, isso demonstra um impacto positivo em sua autoestima.

Conclusão:

Estes resultados encorajam o investimento em programas de estimulação cognitiva como um recurso para melhorar a cognição e a qualidade de vida dos idosos. Queixa cognitiva subjetiva pode ter servido como um preditor de diminuição da autoestima; portanto, como o treinamento melhorou a cognição, também melhorou a autoestima.

Palavras-chave : idoso; treinamento cognitivo; memória; atenção; reabilitação neuropsicológica.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )