SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.64 número1Avaliação das condições orais em pacientes com doenças neurodegenerativas atendidos em centros geriátricos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


RGO - Revista Gaúcha de Odontologia

versão impressa ISSN 0103-6971versão On-line ISSN 1981-8637

Resumo

OLIVEIRA, Carolline Bronzeado de et al. Disfunção temporomandibular e sua relação com hábitos parafuncionais em adolescentes estudantes do ensino médio: um problema de saúde pública?. RGO, Rev. Gaúch. Odontol. [online]. 2016, vol.64, n.1, pp.8-16. ISSN 1981-8637.  https://doi.org/10.1590/1981-863720160001000013054.

Objetivo:

Verificar a prevalência de sinais e sintomas de disfunção temporomandibular e sua relação com hábitos parafuncionais em uma amostra de adolescentes.

Métodos:

A amostra foi constituída de 129 estudantes, de 16 a 19 anos de escolas públicas de ensino médio. Os dados foram coletados por meio de: um questionário sobre os hábitos parafuncionais e sintomas de disfunção temporomandibular, o Índice anamnésico DMF de Fonseca e um protocolo resumido de avaliação clínica de disfunção temporomandibular. Os dados foram analisados de forma descritiva, com a análise estatística realizada pelo Teste Qui-quadrado (x2) e Exato de Fisher.

Resultados:

Houve prevalência de 84,5% de indivíduos com algum grau de disfunção temporomandibular. O hábito parafuncional mais frequente foi o de mascar chicletes (65,9%) e o hábito de morder objetos teve associação significativa com a presença de disfunção temporomandibular (p=0,042) Houve associação estatisticamente significante entre sexo e disfunção temporomandibular (p=0,032), disfunção temporomandibular e hábitos (p=0,014), disfunção temporomandibular e tensão emocional (p<0,01) e tensão e necessidade de tratamento (p<0,01). Além disso, houve associação entre sensibilidade muscular e mastigação unilateral (p=0,045) e mastigação de gelo/pirulitos (p=0,04).

Conclusão:

Conclui-se que nos adolescentes do ensino médio houve alta prevalência de disfunção temporomandibular e hábitos parafuncionais, bem como a associação entre os dois, sendo necessário o estabelecimento de políticas públicas de prevenção e acesso a tratamento para esse problema e grupo etário específico.

Palavras-chave : Adolescente; Hábitos; Saúde bucal; Transtornos da articulação temporomandibular.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )