SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.31 número4AVALIAÇÃO DE PROGÊNIES DE CARNAÚBA NA FASE JUVENIL E ESTIMATIVAS DE PARÂMETROS GENÉTICOSEFEITO DE RAÍZES DE VETIVER SOBRE A RESISTÊNCIA À PENETRAÇÃO DE UM NEOSSOLO FLÚVICO NAS MARGENS DO RIO SÃO FRANCISCO índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Caatinga

versão impressa ISSN 0100-316Xversão On-line ISSN 1983-2125

Resumo

FREITAS, Morgana Andrade et al. MORFOLOGIA DE FRUTOS, SEMENTES, PLÂNTULAS E GERMINAÇÃO DAS SEMENTES DE Psidium sobralianum DO VALE DO SÃO FRANCISCO, BRASIL. Rev. Caatinga [online]. 2018, vol.31, n.4, pp.926-934. ISSN 1983-2125.  https://doi.org/10.1590/1983-21252018v31n415rc.

O Nordeste do Brasil é a segunda região em número de espécies registradas da família Myrtaceae, porém a Caatinga está bastante degradada, o que dificulta a preservação das espécies deste grupo. Objetivou-se caracterizar a morfologia de frutos, sementes, plântulas e a germinação de araçá (Psidium sobralianum) do vale do São Francisco. Os frutos foram coletados na Embrapa Semiárido, Petrolina, PE e submetidos as análises: formato, consistência e número de sementes por fruto; forma, cotilédones, hilo, eixo hipocótilo-radícula e tipo de embrião das sementes; coloração do epicarpo, mesocarpo, endocarpo e semente; diâmetros longitudinal, transversal e ventral de frutos e sementes; massas frescas e secas de frutos, polpa e sementes; teste de germinação; primeira contagem; índice de velocidade de germinação; comprimento das partes aérea e radicular; massas frescas e secas aérea e radicular; teste de embebição. P. sobralianum possui fruto solanídio, pétalas persistentes, formato globular, polispérmico, composto de epicarpo, mesocarpo, endocarpo e sementes. O epicarpo tem coloração verde com laranja, mesocarpo verde-claro e endocarpo branco. Sementes com aspecto piloso e ósseo, embrião pimentoide, cotilédones foliáceos, presença de opérculo, hilo e tegumento amarelo-claro. Germinação epígea fanerocotiledonar, com protrusão radicular a partir dos 26 dias após a semeadura (DAS), radícula curta, glabra, espessa, ápice arredondado e verde-claro. A germinação é lenta, provavelmente devido a barreira mecânica do tegumento, estabilizando-se apenas aos 90 DAS.

Palavras-chave : Myrtaceae; Araçá; Teste de vigor; Teste de embebição.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )