SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.48 número2Efeito da aplicação de fósforo ao substrato e uso de água salina em mudas de pinheira índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Pesquisa Agropecuária Tropical

versão impressa ISSN 1517-6398versão On-line ISSN 1983-4063

Resumo

CZEPAK, Cecília et al. Primeiro registro da mosca-da-haste da soja Melanagromyza sojae (Diptera: Agromyzidae) no Cerrado brasileiro. Pesqui. Agropecu. Trop. [online]. 2018, vol.48, n.2, pp.200-203. ISSN 1983-4063.  http://dx.doi.org/10.1590/1983-40632018v4853158.

A mosca-da-haste da soja [Melanagromyza sojae (Diptera: Agromyzidae)] é uma praga com ampla distribuição no continente asiático. No Brasil, sua ocorrência tem sido relatada desde a década de 1980; porém, ainda não havia sido encontrada em áreas do Cerrado. Este é o primeiro relato de ocorrência de M. sojae nesta região de grande importância para a produção mundial de soja. Espécimes da mosca-da-haste foram coletados em área de soja voluntária, em abril de 2018, no estado de Goiás, e encaminhados para identificação molecular. O índice de similaridade dos espécimes coletados com M. sojae foi superior a 99 %, confirmando a identificação da espécie. O nível de infestação na área de coleta foi de aproximadamente 100 % de plantas com danos causados pelo inseto. No Brasil, a ocorrência de M. sojae, até o presente momento, era descrita como restrita aos estados do sul. Este registro suscita a hipótese de que M. sojae esteja disseminada em outras áreas agrícolas do Cerrado brasileiro, e que sua disseminação seja favorecida pela manutenção de plantas de soja voluntária.

Palavras-chave : Glycine max; pragas da soja; manejo integrado de pragas; soja voluntária.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )