SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.38 issue2Cross-cultural adaptation of the Cyberchondria Severity Scale for Brazilian PortuguesePhonemic verbal fluency and severity of anxiety disorders in young children author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Trends in Psychiatry and Psychotherapy

Print version ISSN 2237-6089On-line version ISSN 2238-0019

Abstract

MANTOVANI, Lucas M. et al. Sobrecarga familiar na esquizofrenia: a influência da idade de início e dos sintomas negativos. Trends Psychiatry Psychother. [online]. 2016, vol.38, n.2, pp.96-99. ISSN 2238-0019.  https://doi.org/10.1590/2237-6089-2015-0082.

Objetivo:

Investigar os determinantes de sobrecarga familiar numa amostra de pacientes com esquizofrenia e seus cuidadores.

Métodos:

Trinta e um pacientes com esquizofrenia e seus principais cuidadores participaram do estudo. Variáveis sociodemográficas foram analisadas por meio de uma entrevista semiestruturada, e sintomas positivos e negativos foram quantificados através da Positive and Negative Syndrome Scale (PANSS). O desempenho cognitivo foi mensurado pela Schizophrenia Cognition Rating Scale (SCoRS). A Escala de Avaliação da Sobrecarga dos Familiares (FBIS) avaliou os níveis de sobrecarga entre os cuidadores. As interações entre as variáveis foram verificadas por meio do coeficiente de correlação de Pearson e de análise de regressão linear.

Resultados:

Os escores objetivos e subjetivos da FBIS foram 1,9 [desvio padrão (DP) 0,5] e 2,4 (DP 0,6), respectivamente. Sobrecarga objetiva se correlacionou positivamente com sintomas positivos e negativos, e com prejuízos cognitivos. A sobrecarga subjetiva se correlacionou positivamente com sintomas positivos, e negativamente com a idade de início da doença. Os sintomas positivos e negativos e os prejuízos cognitivos contribuíram com 47,6% da variância da sobrecarga objetiva, sendo que sintomas negativos foram responsáveis independentemente por 30,3%. A idade de início da doença, os pais na posição de cuidadores e os sintomas positivos contribuíram com 28% da variância da sobrecarga subjetiva, sendo que a idade de início da doença contribuiu independentemente com 20,3%.

Conclusões:

Variáveis sociodemográficas e clínicas dos pacientes são importantes determinantes de sobrecarga familiar na esquizofrenia. A sobrecarga objetiva pode ser predita por sintomas, especialmente os negativos. A sobrecarga subjetiva pode ser predita por sintomas e características sociodemográficas, particularmente a idade de início da doença.

Keywords : Esquizofrenia; sobrecarga familiar; sobrecarga do adoecimento; sintomas negativos; idade de início; cognição.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )