SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.26 número2Adaptação do instrumento Indicadores Clínicos de Risco para o Desenvolvimento Infantil para questionário retrospectivo para paisMensuração do ruído em salas de aula: revisão sistemática índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


CoDAS

versão On-line ISSN 2317-1782

Resumo

MOLINI-AVEJONAS, Daniela Regina; ABOBOREIRA, Meiriane Silva; COUTO, Maria Inês Vieira  e  SAMELLI, Alessandra Giannella. Inserção e atuação da Fonoaudiologia nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família. CoDAS [online]. 2014, vol.26, n.2, pp.148-154. ISSN 2317-1782.  https://doi.org/10.1590/2317-1782/2014011IN.

OBJETIVO:

Analisar a estrutura dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF), vigentes em 2010, identificar o grau de satisfação dos fonoaudiólogos que atuam nessa área e comparar o modelo proposto pela portaria 154 do Ministério da Saúde com a prática fonoaudiológica.

MÉTODOS:

Estudo prospectivo e descritivo, com 40 fonoaudiólogos inseridos em NASF tipo um, de todo território nacional, em 2010. Utilizou-se um questionário com nove perguntas que abordavam diferentes temas (infraestrutura de trabalho, equipe do NASF, ações desenvolvidas pelos profissionais do NASF e satisfação com o trabalho desenvolvido), enviado por correio eletrônico para os fonoaudiólogos. Para a análise das variáveis estudadas, foram utilizadas medidas descritivas, os testes do χ2, ANOVA e o coeficiente de variação de Pearson. Foi adotado o nível de significância de 5%.

RESULTADOS:

Os fonoaudiólogos relataram que nos NASFs em que atuavam havia em média 12,2 Equipes de Saúde da Família, 8,9 profissionais e 1,6 fonoaudiólogos por NASF, sendo a maioria com carga de 40 horas semanais. As atividades de rotina citadas pelos fonoaudiólogos foram: ações de promoção e prevenção de saúde, matriciamento, terapias, suporte aos agentes comunitários, encaminhamentos, visitas domiciliares, ações intersetoriais e atividades administrativas. Houve variabilidade na pontuação do grau de satisfação: a maioria indicou o grau "Pouco satisfeito" para infraestrutura de trabalho e encaminhamentos efetivados e "Muito satisfeito" para visitas domiciliares e suporte aos agentes comunitários de saúde. Comparando o modelo proposto com a prática dos fonoaudiólogos, não houve diferença significativa, mas 40% deles consideraram que as ações do NASF estavam abaixo do esperado.

CONCLUSÃO:

A estrutura dos NASFs apresentou-se bastante variada em termos de número de Equipes de Saúde da Família, profissionais envolvidos e ações executadas. Também houve variabilidade significativa no grau de satisfação entre os temas estudados.

Palavras-chave : Public Health; Speech, Language and Hearing Sciences; Primary Health Care; Family Health; Job satisfaction.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )