SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.28 número1Percepção de fala em deficientes auditivos pré-linguais com desordem do espectro da neuropatia auditiva usuários de aparelho auditivo de amplificação sonoraPotencial evocado miogênico vestibular ocular e cervical simultâneo em indivíduos normais índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


CoDAS

versão On-line ISSN 2317-1782

Resumo

TUGUMIA, Daniele et al. Programa de treinamento auditivo em portadores de zumbido. CoDAS [online]. 2016, vol.28, n.1, pp.27-33. ISSN 2317-1782.  https://doi.org/10.1590/2317-1782/20162015113.

O zumbido pode ser definido como a percepção consciente de um som, sem a presença de estimulação acústica externa. Considerando o prejuízo causado pelo zumbido e a falta de tratamentos definitivos, fica evidente a necessidade de alternativas para reabilitação de pessoas com zumbido. A hipótese é que o treinamento auditivo pode causar uma reorganização plástica desse sistema, promovendo uma melhora do sintoma.

Objetivo:

Verificar o efeito de um programa de treinamento auditivo em portadores de zumbido na percepção desse sintoma. Métodos: Participaram 12 indivíduos portadores de zumbido, divididos em dois grupos: Grupo Estudo (GE) e Grupo Controle (GC). Todos os indivíduos realizaram: audiometria; avaliação eletrofisiológica; acufenometria; aplicação do Tinnitus Handicap Inventory (THI) e avaliação do processamento auditivo (GIN - Gaps In Noise , Teste de Padrão de Frequência e Fala com Ruído). Após a avaliação, foram iniciados os treinamentos e o GE foi submetido ao treinamento auditivo formal enquanto o GC ao treinamento visual.

Resultados:

Na caracterização dos grupos não foram observadas diferenças estatisticamente significantes para as variáveis: idade, pitch e loudness do zumbido, nem para os limiares auditivos na audiometria convencional e altas frequências. Na comparação entre os grupos, pré e pós-treinamento, dos testes eletrofisiológicos, comportamentais e THI não houve diferenças estatisticamente significantes entre eles para nenhuma das avaliações realizadas.

Conclusão:

Achados não mostraram diferenças estatisticamente significantes entre os grupos na comparação entre pré e pós-treinamento (auditivo ou visual), tanto para os achados eletrofisiológicos quanto para a avaliação comportamental do processamento auditivo e para o THI, embora diferenças pontuais na análise individual tenham ocorrido.

Palavras-chave : Zumbido; Potenciais Evocados Auditivos; Audiometria; Plasticidade Neuronal; Questionários..

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )