SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.44 número3Maturação permotriássica e os vários estágios de migração de hidrocarbonetos na Formação Assistência (Subgrupo Irati), Bacia do Paraná: implicações para os modelos exploratóriosInfluência de estruturas brasilianas na sismicidade desencadeada por reservatório na Usina Hidrelétrica de Irapé, Minas Gerais, Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Brazilian Journal of Geology

versão impressa ISSN 2317-4889

Resumo

DUTRA, Alanna C.; MARANGONI, Yára R.  e  TRINDADE, Ricardo I. F.. Dados aeromagnéticos e Propriedades físico-químicas de alguns complexos da Província Alcalina de Goiás. Braz. J. Geol. [online]. 2014, vol.44, n.3, pp.361-373. ISSN 2317-4889.  https://doi.org/10.5327/Z2317-4889201400030003.

A Província Alcalina de Goiás (PAGO), localizada na borda norte da Bacia do Paraná, tem complexos alcalinos com fortes assinaturas magnéticas. A inversão do sinal 3D magnética foi realizada nos dados de magnetometria. Amostras coletadas em campo de algumas dessas intrusões alcalinas apresentam forte magnetização remanescente, como mostram as medidas tomadas em laboratório, assim, uma análise cuidadosa desta componente também foi realizada. O vetor soma dos componentes remanescente mais induzidas foram usadas como um campo magnético induzido virtual durante o processo de inversão 3D dos dados magnéticos. Os parâmetros geométricos foram obtidos a partir da análise quantitativa de dados magnéticos, usando Gradiente Horizontal Total e Fase dos Sinal Analítico. As Susceptibilidades magnéticas e densidades foram medidas em laboratório. Todas as informações foram utilizadas como modelo inicial para a inversão. Os resultados da inversão 3D mostram que as intrusões alcalinas têm raízes até 10-12 km de profundidade. A susceptibilidade magnética é distribuída em formas quase esféricas e cilíndricas. A possibilidade das formas esféricas ocorre da hipótese de que as intrusões da GAP na parte norte da província representam câmaras magmáticas. O magma alcalino ascendeu da litosfera e usou dois principais sistemas de falhas como caminho preferencial para sua colocação. Estes sistemas de falhas aparecem na análise do sinal magnético como feições magnéticas lineares. A análise química confirmou o caráter alcalino e subalcalino dos magmas. O alto teor de MgO mostra o caráter primitivo dessas intrusões, mas a anomalia Ba indica uma possível contaminação crustal.

Palavras-chave : Magmatismo alcalino; dados magnéticos; magnetização remanescente; inversão 3D.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )